Linha de crédito para conectividade no Campo sai neste semestre, prevê Agricultura

Linha utiliza recursos do Fust e está sendo construída pelo BNDES nas modalidades financiamento reembolsável e subvenção. Os editais para financiamento a fundo perdido já estão sendo elaborados, disse Sibelle Silva, Diretora do MAPA.

Crédito: Freepik

Representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), contou hoje, 15, no evento AGROtic, que linhas de crédito baseadas em recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) começam a ser destinadas a projetos de conectividade no campo já neste semestre.

O Conselho Gestor do fundo começa a se reunir novamente nesta semana, e o BNDES já trabalha na criação das linhas de crédito para a oferta de financiamentos ao mercado.

Sibelle Silva, Diretora do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação do Ministério, abriu o primeiro AGROtic de 2023, evento realizado pelo Tele.Síntese em parceria com a ESALQTec.

Segundo ela, o crédito para conectividade rural está garantido. “Conhecemos a história do Fust, um fundo criado para instalar orelhões. Mas agora será utilizado de forma transversal para conectar escolas, área rural, localidades”, falou.

Sibelle Silva explicou que há pelo menos duas formas de o dinheiro público irrigar iniciativas de modernização rural. A primeira é através do próprio MAPA, com o produtor solicitando uma linha do Plano Safra dedicada à contratação de conectividade. Existem linhas para implantação de tecnologia na produção que podem, indiretamente, envolver conectividade.

Para provedores e operadoras de telecomunicações interiorizarem infraestrutura, o financiamento dependerá totalmente do Fust mesmo, via intermediação do BNDES. “Vão ter linhas baseadas em recursos do Fust com juros baixos, e também a fundo perdido. Isso estará em editais que serão lançados em breve”, pontuou.

O MAPA é um dos integrantes do Conselho Gestor do Fust, que retoma reuniões na sexta-feira, 15. “O que falta é construir a operação dos recursos junto ao BNDES. Ainda neste semestre haverá as linhas de crédito. O montante está sendo definido para o campo. No geral, o objetivo do Fust é conectar áreas sem conectividade. Portanto é uma política transversal, e o montante específico precisa ser definido”, contou.

Além do assento do Conselho Gestor do Fust, o MAPA formou grupos de trabalho dentro das Câmaras Temáticas que possui para tratar da conectividade no campo. Atualmente, a pasta da Agricultura tem seis Câmaras Temáticas (Inovação Agrodigital; Infraestrutura e Logística; Insumos Agropecuários; Crédito, Seguro e Comercialização; Agricultura Sustentável e Irrigação; e Agricultura Orgânica).

“Estas Câmaras são fóruns oficiais de debate das políticas agrícolas e podem sair dali planos para subsidiar o uso do Fust. Também trabalham com planos de sustentabilidade das cadeias do agro, de startups e empresa que possam integrar a cadeia digital [do setor]”, concluiu.

O AGROtic acontece de hoje até sexta-feira, 17 de março, pelas manhãs. O evento online tem participação gratuita e debate o uso de tecnologia pelo produtor rural e como operadoras podem levar a infraestrutura para o interior do Brasil. Confira a programação completa e inscreva-se (ainda dá tempo de ver os próximos debates) aqui.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4150