Redes de banda larga de prédios podem contribuir para o 5G, diz Broadband Forum

Projeto prevê reutilizar cabos existentes em edifícios, como os de par trançado e coaxiais, para impulsionar a conectividade de quinta geração móvel em condomínios
Broadband Forum propõe a reutilização de cabos para impulsionar o 5G via FWA em edifícios
Broadband Forum propõe a reutilização de cabos para impulsionar o 5G via FWA em edifícios (crédito: Freepik)

O Broadband Forum, organização sem fins lucrativos que atua no desenvolvimento de especificações de banda larga, lançou um projeto que deve impulsionar conexões de alta velocidade em edifícios. A iniciativa consiste em reutilizar o cabeamento existente em prédios para estender conexões 5G utilizando a tecnologia Fixed Wireless Access (FWA).

Segundo a organização, ao reutilizar a infraestrutura disponível, as operadoras podem ampliar a escala dos serviços, reduzir o tempo de instalação e acelerar a obtenção de receitas, além de economizar em opex e capex.

Para que o sistema funcione de modo apropriado, os apartamentos podem ser acessados usando os cabos previamente instalados, como os de par trançado e os coaxiais, do sótão ou do porão do edifício.

A expectativa é de que o projeto reduza os custos das empresas de telecomunicações, sobretudo com infraestrutura de estação rádiobase.

“Este projeto terá um grande impacto em como as operadoras de telecomunicações podem implantar conexões 5G FWA em áreas metropolitanas”, afirma, em nota, Helge Tainen, da InCoax Networks, empresa sueca que integra o Broadband Forum. “Como a implantação da infraestrutura FWA já foi iniciada, é fundamental resolvermos o desafio de acessibilidade em unidades habitacionais enfrentado pela indústria de banda larga atualmente”, acrescenta.

Ondas milimétricas

O Broadband Forum ressalta que um dos principais problemas da conectividade 5G é a dificuldade de enviar sinais por ondas milimétricas (mmWave) através de paredes. No entanto, conexões de alta velocidade exigem que as operadoras usem ondas milimétricas no espectro de 24 Ghz a 100 Ghz.

Todavia, a organização diz que, nessas altas frequência, a intensidade do sinal pode ser atenuada em até 45 decibéis (dB) em cada parede, o que prejudica a conectividade.

Além disso, outro desafio é quando o modem FWA é instalado no telhado do edifício, de modo que cabos Ethernet precisam chegar a cada apartamento. Atualmente, as operadoras disponibilizam um modem para cada assinante. Contudo, isso pode ser um problema em uma unidade habitacional com muitos apartamentos. Por isso, para estender o alcance do 5G FWA, a organização sugere a utilização da infraestrutura de cabo existente.

“Lançamos este projeto para trazer benefícios tangíveis para as operadoras e tornar a entrega rápida e eficiente de conectividade multigigabit para residentes e proprietários de edifícios uma possibilidade muito real”, pontua Christele Bouchat, da Nokia.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 855