Lunio, especializada em monitoramento, cria solução pioneira para redes neutras

A empresa desenvolveu para a Fibrasil, uma de suas clientes, sistema de monitoramento baseado na tecnologia Zabbix.
Lunio, especializada em monitoramento, cria solução pioneira para redes neutras
“Quanto mais se automatiza, menos se tem custo operacional, e essa é a cultura da Lunio¨, afirma Danilo Barros, um dos sócios.

Uma revolução tecnológica silenciosa vem mudando radicalmente o mercado de telecom ao redor do mundo. A expansão da chamada rede neutra já vem acontecendo sem que muita gente se dê conta.

Na prática, a rede neutra funciona permitindo o compartilhamento de uma única estrutura de rede por várias empresas ao mesmo tempo. E se isso modificou a lógica das operadoras de banda larga, também criou um novo modelo de negócios. Com isso, surgiram novas – e desafiadoras – demandas para viabilizar essa operação.

Lunio está na vanguarda em soluções de monitoramento de Telecom

O processo inédito de criação de uma arquitetura de soluções para o monitoramento de uma rede neutra que já chega a 20 estados do Brasil e entrega conectividade a mais de 180 cidades se transformou em um dos cases de sucesso da Lunio. É graças ao suporte e a expertise dela que a FiBrasil companhia de telecom, criada pelo grupo Telefônica Brasil, um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo, consegue oferecer atualmente uma gigantesca infraestrutura de rede compartilhada, atendendo operadoras e provedores de internet em todo o país.

A lógica de funcionamento é simples: “Eu tenho um backbone. Então a operadora 1, a operadora 2 e a operadora 3 contratam os serviços da FiBrasil e lá na porta PON eu entrego para diversos clientes, tudo de forma segmentada, mas pela mesma infraestrutura”, pontua Danilo Barros, um dos sócios da Lunio.

Uso da plataforma Zabbix possibilitou a criação de soluções sob demanda para o monitoramento de rede neutra

O desenvolvimento do sistema de monitoramento criado pela Lunio especialmente para as demandas da FiBrasil foi baseado na plataforma Zabbix. Entre as muitas funcionalidades da ferramenta está a criação, a partir de um código aberto, de um grande leque de aplicações capazes de fazer o gerenciamento de infraestruturas. A apresentação do case foi um dos destaques do evento Zabbix Conference Latam 2023, realizado entre os dias 1º e 4 de junho em São Paulo. E que contou com a presença do Alexei Vladishev, CEO do Zabbix.

O detalhamento do trabalho e as vantagens da utilização da plataforma Zabbix e suas múltiplas possibilidades diante da demanda complexa e cheia de peculiaridades apresentada pela FiBrasil foi feita por Danilo. A missão era ousada: garantir que a telecom recém-estabelecida melhorasse a qualidade e a velocidade da rede, oferecendo assim uma infraestrutura confiável e vantajosa para ser usada por operadoras e provedores de internet de todo o país.

Essa abordagem otimiza o investimento por parte de operadoras de telecom na implementação e na manutenção de uma estrutura de rede própria. Assim, abrem-se as portas para a criação de um novo modelo de negócios baseado no aluguel da rede neutra, uma forma inovadora de compartilhamento de estrutura que vem mudando a lógica desse setor.

“A rede neutra veio para revolucionar o mercado”, já adianta Danilo. “A gente tem um problema sério no Brasil que é a questão do cabeamento, principalmente nas grandes cidades. Até pouco tempo, as empresas de telecom precisavam arcar com um alto custo. Em algumas cidades, você só pode passar até cinco cabos por poste. Então, a chegada da rede neutra permite compartilhar uma só infraestrutura e fazer com que outras empresas consigam utilizar essa rede sem a necessidade de fazer um grande investimento”, explica.

O desafio de criar soluções para demandas específicas

Havia uma série de demandas propostas pela FiBrasil a serem resolvidas. Eles tinham dificuldades em alguns cenários e queriam saber se a Lunio conseguiria atendê-los. “Analisamos e, como já tínhamos uma expertise em relação as telecom, sabíamos que era possível resolver essas questões tranquilamente. Mas precisávamos saber qual era a perspectiva, onde eles queriam chegar com isso”, relembra Danilo.

Entre as necessidades elencadas estavam a monitoração de KPIs, performance, elementos da rede, AGGs, OLTs, sistemas e ausência de métricas, já que a ferramenta que eles possuíam não tinha algumas métricas específicas e eles precisavam delas, topologia ativa da rede, mapas e discoveries das interfaces, além da customização de dashboards.

O cenário envolve 1.500 elementos de rede monitorados, em mais de 20 estados e 180 cidades atendidos. “Estávamos falando de um projeto que pode chegar até 5 milhões de porta ativas. Isso é muita coisa. Imagina você com 5 milhões de clientes na rede. É preciso gerar toda a estrutura de reports, tem que passar toda a estrutura para o seu tenant final, para ele entender como está o status do serviço compartilhado pela FiBrasil”, explica Danilo.

Arquitetura de solução passa por escalabilidade e automação

Traçado o cenário, a Lunio passou à formulação da arquitetura de uma solução capaz de sustentar essa enorme quantidade de clientes. A resposta veio por meio da cloud e da escalabilidade, cenário ideal para utilização do Zabbix, que viabiliza o crescimento a qualquer momento. Por isso, foi feita a opção de usar o GitOps em conjunto com Kubernetes.

“O trabalho foi excelente, uma grata surpresa. Além da monitoração, a gente também teve esse resultado das estatísticas desenvolvidas pela Lunio. O trabalho deles foi um sucesso”, reconhece o diretor de TI da FiBrasil, Alessandro Gentil.

O projeto foi subdividido em três fases:  monitoramento de telecom, sistema e infraestrutura. Também houve demandas para facilitar a participação do time no projeto, o que exigiu a criação de automações capazes de orquestrar a plataforma Zabbix sem a necessidade de acessar o sistema do cliente.

As soluções, de acordo com Danilo, exigiram a criação de ferramentas sob demanda. “Criamos algumas automações, principalmente no cadastro de host, e um aplicativo para desktop que automatiza todo o processo de cadastro do host, com autenticação via token para conexão na base do cliente que já consegue cadastrar macros e tags. Essa é a nossa cultura na Lunio: quanto mais se automatiza, menos se tem custo operacional”.

A parte mais complexa do projeto, porém, foi a de sistemas. “São clouds distintas, módulos distintos, contêineres, bancos de dados relacionais e não-relacionais e times diferentes para cada módulo, trabalhando com linguagens específicas. Esse era o nosso desafio, monitorar todo esse cenário e entregar essa disponibilidade dos sistemas instrumentando as aplicações a partir do Zabbix”, lembra o sócio da Lunio.

O resultado de todo esse trabalho ocorreu com a centralização de todos os eventos e de todas as ferramentas e a partir do recebimento e do despacho dos eventos, com o Zabbix sendo o coração do monitoramento, recebendo esses eventos e entregando para as ferramentas internas. Também foi instituído um fluxo de evolução contínua dentro da FiBrasil.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10578