Em caso de nova dissolução da Oi, PPPs pedem participação ‘em pé de igualdade’

Telcomp reivindica possibilidade de negociar base de clientes caso seja esse o resultado de nova recuperação judicial.
Em caso de nova dissolução da Oi, PPPs pedem participação ‘em pé de igualdade’
Diretores da Telcomp anunciam que PPPs vão reivindicar participação no debate de eventual novo fatiamento da Oi | Foto: Tele.Síntese

O Conselho Diretor da Telcomp – Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas – afirmou nesta terça-feira, 20, que vai reivindicar a participação no debate em caso de eventual nova dissolução da Oi, para adquirir parte da base de clientes. A posição foi anunciada no III Simpósio da Telcomp, realizado em Brasília. 

“[Em] eventual fatiamento da Oi, se isso for uma pauta, as associadas da Telcomp estão prontas para fazer essa discussão. E a gente pede que isso seja feito de forma clara, transparente, para que a gente possa participar desse processo em pé de igualdade com as operadoras tradicionais”, disse o diretor estatutário da associação, Carlos Eduardo Sedeh, CEO da Megatelecom. 

Eventual novo fatiamento da Oi poderia levar em consideração o serviço de banda larga, foco das PPPs associadas. No entanto, o foco é em fatias que não descaracterizem os pequenos, colocando em posição de mercado que demande maiores ônus regulatórios. 

Sedeh ressaltou que a participação da Telcomp no debate valida o papel importante das PPPs na universalização dos serviços de telecomunicações, objetivo que faz parte de políticas públicas prioritárias. 

“As nossas associadas amadureceram muito. São chamadas de PPPs, mas algumas delas não são mais de tamanho pequeno, são relevantes em suas regiões. No caso concreto da Oi, queremos fazer esse chamamento para que a gente participe dessa discussão, caso ocorra”, concluiu.

O CEO da Um Telecom, Rui Gomes, também diretor estatutário da Telcomp, reforçou a ideia apontando impactos de eventual dissolução da Oi no mercado de telecomunicações. 

“Estamos abertos à discussão para não concentrar ainda mais o mercado de banda larga caso a Oi seja fatiada. Nós queremos participar muito mais do que com remédios, como foi no caso da Oi Móvel”, afirmou Gomes. 

Recuperação Judicial

O novo plano de recuperação da Oi, apresentado em maio, apontou que a empresa terá novos donos caso seja aprovado e executado integralmente. A proposta prevê aumento de capital da companhia, com diluição dos atuais acionistas.

Os credores que aceitarem participar, receberão, em conjunto, até 80% do capital social da empresa. Os atuais sócios poderão exercer direito de preferência.

Avatar photo

Carolina Cruz

Repórter com trajetória em redações da Rede Globo e Grupo Cofina. Atualmente na cobertura dos Três Poderes, em Brasília, e da inovação, onde ela estiver.

Artigos: 841