Brasil deve ter políticas unificadas para se transformar em Nação Digital

O 5G abre uma janela de oportunidades, mas é necessário ir além das iniciativas fragmentas, com a adoção de políticas unificadas de transformação digital.
Brasil deve ter políticas unificadas. Crédito-Freepik
(crédito: Freepik)

No início deste segundo trimestre, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou uma ferramenta que permite a visualização de áreas não cobertas pelas infraestruturas de conectividade em todo o Brasil. No momento em que muitas cidades estão instalando sua infraestrutura 5G e considerando que os dados obtidos pela plataforma do BID indicam que 19 milhões de brasileiros ainda vivem perto ou em lugares em que não há evidência empírica de conexão de banda larga, é o momento de uma reflexão sobre o acesso às tecnologias como direito universal.

A ferramenta do BID foi projetada como sequência do C2DB (Crowdsourcing for Digital Connectivity in Brazil), lançada em 2021, em parceria entre o Bando de Desenvolvimento e a Anatel. A plataforma utiliza dados georreferenciados e deve ser usada para a expansão da rede de telecomunicações no país.

No caso da conectividade, o 5G é o meio para acesso à rede móvel com qualidade. Para não perderem essas oportunidades, os governos, as
instituições e as empresas precisam encontrar formas de garantir o acesso amplo e inclusivo de toda a população aos benefícios que as novas tecnologias proporcionam. Há um abismo digital a ser combatido com soluções concretas a serem implementadas ainda na atual conjuntura.

Políticas Unificadas

Daí a importância de uma reflexão sobre a instituição de políticas unificadas de transformação digital. O Brasil tem vários programas, porém falta uma visão única que abarque todas as esferas governamentais e sociais e não somente iniciativas fragmentadas em um ministério ou agência. Países com uma visão mais ampla têm a cúpula governamental como liderança nesse processo.

As soluções existem e estão mais próximas do que imaginamos, mas requerem um planejamento e visão de futuro adequados às demandas
que a tecnologia e o mercado necessitam. Para superá-lo, elencamos três pilares essenciais nessa tarefa: a conectividade, o acesso a dispositivos móveis e a capacitação.

No Brasil há 25 anos, a Huawei é parceira de mais de cem universidades e instituições de ensino locais no programa ICT Academy. Nos últimos 10 anos, treinou mais de 36 mil talentos em TIC, nos seus centros de treinamento e nas instituições parceiras. Com iniciativas como essa, a Companhia participa da transformação digital nacional, estendendo sua parceria com as operadoras, desde a instalação do 2G até o 5G, para a capacitação de novos talentos.

Este é o caminho a ser traçado para que o país se desenvolva plenamente como nação conectada e apta a se destacar na nova economia digital, que já corresponde, hoje, a 50% de toda riqueza global.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10485