A IA Generativa está na pauta dos CEOS

Pesquisas indicam maior interesse e mais investimentos na ferramenta pelas empresas
IA generativa
(crédito: Freepik)

Pesquisa realizada pelo Gartner mostra que 55% das empresas estão em fase de testes ou de produção com IA Generativa. A consultoria ouviu em setembro 1.419 representantes de empresas globais e os resultados indicaram um aumento em relação ao levantamento anterior, realizado também neste ano, entre março e abril. Naquela ocasião, 15% dos entrevistados estavam testando a Inteligência Artificial (IA) Generativa e 4% indicaram o uso efetivo em suas empresas.

Na nova pesquisa, divulgada em outubro, a consultoria constatou que as empresas estão investindo tempo, dinheiro e recursos para avançar nessa área. “A Inteligência Artificial Generativa agora está na pauta de CEOs e conselhos de administração”, disse Frances Karamouzis, analista e vice-presidente do Gartner.

Ao menos 45% de líderes executivos de empresas globais destacaram que estão em fase de teste da IA Generativa, enquanto outros 10% já implementaram a tecnologia em seus processos de produção, de acordo com a consultoria Gartner.

Outra pesquisa, da Accenture, apontou que aproximadamente 80% dos chief marketing officers (CMOs) planejam aumentar os investimentos em inteligência artificial e dados em 2024. O resultado é 57% maior na comparação com pesquisa realizada no ano anterior. No levantamento deste ano, os CMOs citaram duas áreas de negócios como prioritárias para investimentos em IA Generativa: atendimento ao cliente e marketing.

Um dos segmentos que mais têm usado inteligência artificial é o financeiro, que explora a capacidade da ferramenta para processar grandes volumes de dados, oferecer insights e avaliar riscos de investimentos. Os recursos tecnológicos como ChatGPT e o FinChat já estão ocupando um lugar de destaque entre analistas e investidores.

A Huawei entende que a IA Generativa será parte do banco do futuro e tem investido massivamente em inteligência artificial voltada para negócios. Cerca de 20% do faturamento anual da companhia é dedicado a área de Pesquisa & Desenvolvimento, na qual o novo projeto está inserido.

Com a IA generativa da Huawei, a companhia avalia que mudará a tomada de decisão do cliente final, que receberá ofertas de produtos e serviços de uma forma mais personalizada, com base em dados estruturados e modelos preditivos. A tecnologia vai gerar mais assertividade para a indicação de investimentos, oferta de financiamentos, de forma mais customizada.

“O banco vai conseguir entender ainda mais as necessidades do cliente, com o uso da tecnologia e estudo do comportamento, vai melhorar o atendimento e aumentar a sua qualidade competitiva”, comenta o diretor de Vendas e Negócios da Huawei Enterprise Brasil, Airton Melo.

Além disso, a IA generativa também trará benefícios na área da segurança cibernética, por meio da análise de comportamento. Por exemplo, caso a tecnologia perceba ações muito diferentes do perfil de um determinado cliente, levantará um alerta vermelho, a chamada “red flag” para a área de segurança em tempo muito mais ágil e eficiente.

 

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10588