Anatel esclarece: vai estudar números telefônicos para comunicação de dados

Os planos da agência são os de estudar os impactos na liberação de números próprios para as licenças de SCM poderem se comunicar com a rede pública de telecom.

A Anatel informou hoje, 21, que não pretende estudar uma nova numeração IP (Internet Protocol), conforme informou este portal na semana passada, a partir dos debates travados na reunião do conselho diretor. Conforme explicaram os técnicos da agência, o Comitê Gestor da Internet (CGI) é o fórum responsável pela numeração IP no país, e não a Anatel.

A agência vai estudar o impacto, no mercado de telecomunicações, da atribuição de números telefônicos para a comunicação de dados, ou seja para as licenças do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), que até hoje não têm sua própria numeração. Atualmente, quando um operador de SCM – grande, como a Telefônica com licença fora de São Paulo, ou pequeno, como um provedor regional – quer prestar o serviço de voz, ou ele precisa de uma licença de STFC (de telefonia fixa, para se ligar à rede fixa) ou ele usa a VoIP (com a numeração IP fornecida pelo CGI).

O estudo a ser feito pela Anatel pretende analisar o impacto da implementação de uma numeração própria para as licenças de banda larga e de que maneira essa medida pode estimular a competição, afetar a concessão e impactar outros mercados.

 

 

 

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2156