Vivo usará faixa de 26 GHz em estádios e grandes eventos

Vivo aposta na chegada ano que vem ao mercado local de aparelhos de realidade virtual, aumentada, drones e câmeras para colocar em uso a alta capacidade e baixa latência da faixa de 26 GHz

A Telefônica Vivo definiu a estratégia que vai adotar para colocar em uso ainda em 2023 a faixa de 26 GHz, arrematada no último leilão da Anatel. Segundo Alex Salgado, vice-presidente de B2B da companhia afirmou hoje, 15, que o plano é começar pela cobertura de estádios e grandes eventos, a fim de aproveitar a alta capacidade de transmissão de dados da faixa para atender aos picos de demanda que acontece na rede nestas ocasiões.

Ele afirmou também que essa cobertura poderá atender o usuário final, mas há grande interesse em habilitar novos casos de uso do 5G de altíssima capacidade no Brasil.

“Trabalhamos na homologação de dispositivos de realidade aumentada, realidade virtual, drones. Teremos um volume de dispositivos relevante chegando no próximo ano, câmeras de segurança e monitoramento, dispositivos que viabilizam soluções por terem processamento na ponta”, comentou durante evento online realizado pela consultoria PwC.

Ele indicou que a conectividade de estádios com a faixa de 26 GHz vai acontecer antes do uso para o varejo de sistemas FWA (banda larga fixa a partir da rede 5G), ou da construção de backhaul de antenas celulares – em antenas 5G SA que operam em outras faixas são interconectadas pelo sinal dos rádios de 26 GHz. Disse ainda que a operadora fará projetos-pilotos em redes comerciais em várias regiões do Brasil.

Antes de lançar produtos finais para a faixa de 26 GHz, a Vivo começa a buscar novos segmentos de mercado que aproveitam o 5G para a conectividade, sem depender de celulares. Vai iniciar com o lançamento de um notebook conectado, que terá acesso direto à rede móvel de quinta geração para navegar como se estivesse em uma rede WiFi, por exemplo. O produto chega ao mercado em outubro, falou.

Por fim, o executivo lembrou que a Vivo tem aprofundado parcerias para desenvolver casos de uso do 5G. Tem acordos com o aeroporto de Belo Horizonte, com a FEI, com o Hospital Albert Einstein e com a ESALQ. Com essas parcerias, consegue abarcar o desenvolvimento de produtos para o setor de logística, da indústria 4.0, de saúde e do agronegócio.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4150