Telefónica avalia venda de prédios de data centers inclusive no Brasil

Operações no segmento de TI continuam inalteradas, com ou sem venda. "É uma questão de alocação de capital", explicou Alex Salgado, VP de B2B da Vivo.

O grupo espanhol Telefónica avisou o mercado em fevereiro que tinha colocado à venda seus data centers em todo mundo. Hoje, o vice-presidente de B2B da subsidiária brasileira, Alex Salgado, explicou que a avaliação é pela venda dos prédios dos data centers, com eventual acordo para continuidade de uso das unidades, a exemplo do que aconteceu em 2016 com as torres de telefonia móvel. O negócio baseado nos DCs permanecerá inalterado, garante.

“Estamos avaliando se existe oportunidade de venda dos prédios, somente dos imóveis. O que não muda nada nas operações, assim como quando aconteceu quando vendemos as torres”, afirmou.

Ele disse que, apesar do aviso ao mercado, não existe ainda nenhuma decisão sobre a venda. “Estamos estudando a medida, que vem sendo tomada por operadoras em todo o mundo. Temos que ver ainda se vale à pena ou não para a Telefônica [manter ou não a posse dos imóveis]. É uma questão de alocação de capital”, explicou.

Um exemplo acontecido em 2016 vem dos Estados Unidos, onde a Verizon, maior operadora móvel em número de usuário, vendeu seus data centers para a Equinix.

A avaliação contempla a unidade de Tamboré. Segundo executivo, o caso brasileiro já mostra como é possível explorar o mercado de data centers sem ser o dono do prédio. “Aqui temos três data centers, um próprio e contrato com a unidade da T-Systems e da Odata”, disse.

Salgado falou à imprensa durante o lançamento hoje, 14, da marca Elevenpaths no Brasil. A unidade de negócio é focada em cibersegurança que vai complementar o portfólio corporativo no país.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4150