Telefônica aprova distribuição de R$ 150 milhões em juros sobre o capital próprio

Valor bruto por ação é de R$ 0,09; pagamento deve ocorrer em data ainda a ser definida, com prazo até 30 de abril de 2024
Telefônica vai distribuir R$ 150 milhões em juros sobre capital próprio
Nova rodada de juros sobre capital próprio da Telefônica prevê a distribuição de R$ 150 milhões (crédito: Freepik)

O conselho de administração da Telefônica Brasil aprovou, nesta terça-feira, 10, a distribuição de R$ 150 milhões aos acionistas na forma de juros sobre o capital próprio (JSCP). Na prática, serão pagos, em valores brutos, R$ 0,09 por ação.

Vale lembrar que, conforme a legislação tributária, 15% do valor total são retidos na fonte pelo Imposto de Renda (IR). Desse modo, o montante líquido a ser pago será de R$ 127,5 milhões – ou R$ 0,07 por ação.

A companhia, cujas operações comerciais são realizadas sob a marca Vivo, indicou que a distribuição leva em conta o balanço patrimonial do dia 31 de agosto deste ano. Além disso, os juros serão imputados ao dividendo obrigatório do exercício social que termina no fim de 2023.

A Telefônica informou que o pagamento dos proventos será realizado até 30 de abril de 2024. A data exata ainda será definida pela diretoria.

O crédito dos JSCP será realizado de forma individualizada a cada acionista, com base na posição acionária ao final do próximo dia 23 de outubro. Após essa data, as ações serão consideradas “ex-juros”, informou a tele.

“Os valores dos JSCP por ação poderão sofrer ajustes a serem apurados considerando a base acionária da Companhia em 23 de outubro de 2023 em função de eventuais aquisições de ações dentro do Programa de Recompra de Ações da Companhia em vigor”, sinalizou a Telefônica, em comunicado aos investidores.

No caso dos acionistas imunes ou isentos do IR, para que o tributo não seja aplicado, devem comprovar tal condição até o dia 27 de outubro.

Outros pagamentos

Há um mês, a Telefônica anunciou o pagamento no montante bruto de R$ 200 milhões aos acionistas utilizando o instrumento financeiro dos JSCP. O prazo do pagamento, inclusive, é o mesmo da distribuição anunciada nesta quarta: 30 de abril de 2024.

Meses antes, em julho, a companhia divulgou que pagará R$ 405 milhões sob o mesmo modelo. O prazo previsto vai até 30 de junho do próximo ano.

Vale destacar que tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que prevê acabar com a dedução dos JSCP da base de cálculo Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Analistas estimam que a proposta, caso avance, pode comprometer seriamente o lucro das operadoras – no caso da Vivo, a redução no lucro projetada pelo BTG Pactual é de 16,5%.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 792