Unifique vai distribuir R$ 15 milhões aos acionistas na forma de juros sobre capital próprio

Valor total da distribuição corresponde a R$ 0,42 por ação; pagamentos estão previstos para o dia 26 de julho e serão destinados a detentores de papéis em 14 de julho deste ano
Unifique anuncia a distribuição de R$ 15 milhões na forma de juros sobre o capital próprio
Pagamento de juros sobre o capital próprio da Unifique está previsto para 26 de julho (crédito: Freepik)

Em decisão tomada nesta segunda-feira, 10, o conselho de administração da Unifique aprovou a distribuição e o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor total de R$ 15 milhões. O montante corresponde a R$ 0,42 por papel.

Além disso, a empresa informou que o valor já desconsidera as ações em tesouraria, com base na aplicação da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) pro rata dia, calculada sobre o patrimônio líquido da companhia, até da data de 31 de março deste ano.

Em comunicado, a operadora destacou que o pagamento do JCP será efetuado em uma única parcela. A previsão é de que os valores sejam pagos no dia 26 de julho.

Vale destacar que o montante total bruto do JCP está sujeito à tributação pelo Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), com base na alíquota de 15%, exceto para os acionistas comprovadamente isentos ou imunes ou domiciliados em países ou jurisdições para os quais a legislação estabeleça outra alíquota. De todo modo, a condição precisa ser comprovada à empresa até o dia 17 de julho.

Segundo a Unifique, estão em condições de receber a distribuição de juros sobre capital próprio os acionistas detentores de ações da companhia em 14 de julho de 2023 – ou seja, a próxima sexta-feira.

“A importância correspondente ao pagamento do JCP será imputada no cálculo dos dividendos obrigatórios do exercício social de 2023, conforme previsto no Estatuto Social da Companhia”, afirma a empresa, em comunicado.

Negócios

Na semana passada, a Unifique informou a aquisição da Naxi Telecomunicações. O provedor de serviços de internet (ISP) atua em quatro cidades de Santa Catarina e detém, aproximadamente, 17.500 acessos de fibra óptica. O valor do negócio foi de R$ 35,2 milhões.

Em maio, a operadora comprou o provedor de banda larga Concórdia ClienteCo, detentor da carteira de clientes da Superline Telecomunicações. O valor da transação foi de R$ 26 milhões.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 793