Primeiras escolas conectadas com recursos do 5G serão entregues em novembro

Serão 181 escolas conectadas com recursos do leilão 5G na fase piloto, que vai atender 10 cidades. EACE estima gasto de R$ 46,7 milhões neste começo de política pública.

Escola (Crédito: Freepik)

A data exata para o início dos projetos pilotos de conectividade em escolas públicas com recursos do leilão 5G ainda não está fechada. Ontem, 16, o GAPE, grupo da Anatel que supervisiona os trabalhos da EACE, entidade criada pelas operadoras para realizar as conexões, recebeu proposta de um cronograma preliminar, não definitivo.

A EACE informou que as entregas de escolas conectadas devem acontecer entre novembro deste ano e março de 2023. O prazo depende do resultado de RFPs que ainda vão ser colocadas no mercado para aquisição dos serviços e equipamentos e da agilidade de licenciamento das obras nas prefeituras.

Cronograma EACE para conexão de 181 escolas
O cronograma preliminar apresentado pela EACE traz também valores previstos para cada fase a ser cumprida até o início do funcionamento dos pilotos.

A previsão desagradou o presidente do GAPE e conselheiro da Anatel, Vicente Aquino. Ele manifestou seu descontentamento com a proposta e cobrou agilidade para conexão o mais rápido possível das escolas.

Não houve deliberação. A reunião terminou com a expectativa de que a EACE compartilhe mais detalhes do andamento dos trabalhos com os grupos técnicos. A próxima reunião do GAPE, em que deve haver deliberação sobre os prazos, acontece dia 30 de agosto.

O Tele.Síntese apurou que representantes das operadoras alertaram para o tamanho dos pilotos, que envolvem não apenas ativar um acesso fixo de fibra óptica em 181 escolas, mas a implantação de uma rede pedagógica WiFi, construção de salas de computação e equipagem dos laboratórios.

A EACE alertou que ainda vai analisar se há rede de fibra próxima às escolas, ou se deverá executar obras no entorno e buscar acesso no backhaul óptico que chega às cidades. O mapeamento das condições locais não começou.

O valor necessário para executar os pilotos é de R$ 46,75 milhões, incluindo a conexão de escolas rurais distantes mais de 20 Km de redes de fibra e pagamento do acesso em banda larga na instituição de ensino por 36 meses.

O piloto prevê 181 escolas sejam conectadas utilizando-se os recursos vindos do leilão do 5G, em 10 cidades – duas para cada região do país:

  • Norte: Pau D’Arco (PA) e Espigão do Oeste (RO)
  • Nordeste: Baía da Traição (PB) e Santa Luzia do Itanhy (SE)
  • Centro-Oeste: Gaúcha do Norte (MT) e Cavalcante (GO)
  • Sudeste: Berilo (MG) e Silva Jardim (RJ)
  • Sul: Entre Rios (SC) e Coronel Domingos Soares (PR)

Os municípios com maior número de escolas selecionadas são Cavalcante e Berilo, com 24 cada um. Já a que tem menos unidades é Entre Rios, com dez.

Os critérios de seleção das escolas beneficiadas levou em conta, entre outros pontos, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), o percentual de alunos desconectados, a densidade de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) e a localização diferenciada (em terras indígenas, quilombolas ou em assentamentos), foram os critérios iniciais.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4209