Três novas infovias serão construídas na região Norte com os recursos do 5G

A proposta é construir mais mil quilômetros de redes nos rios de Tocantins, Xingu e Tapajós.
Sidney Azeredo - Foto: Três Produtora
Sidney Azeredo, detalhou as três novas infovias no Norte (Foto: Três Produtora)

Belém – O Gaispi aprovou a construção três novas infovias de banda larga na Região Norte do país, além das seis estradas subfluviais que estavam previstas, anunciou hoje, 15, Sidney Azeredo, assessor da superintendência de Outorgas e Recursos à Prestação da Anatel, durante o INOVAtic Pará, evento promovido pelo Tele.Síntese, com a curadoria de Juarez Quadros. Segundo Azeredo, a sugestão, que precisa ainda ser aprovada pelo Conselho Diretor da Anatel, foi tomada a partir da constatação de que há disponibilidade de caixa para fazer ampliação do programa Norte Conectado, com os recursos do leilão do 5G alocados para esse iniciativa.

“Estamos propondo a construção de três novas infovias, nos rio Tapajós, Xingu e Tocantins, que terão cerca de mil quilômetros e atenderão 16 novos municípios”, afirmou Azeredo. Segundo Leandro Guerra, da EAF- Siga Antenado, o cronograma de construção das primeiras seis infovias está em dia. Este ano, a empresa entrega as infovias dois e três que ligam as cidades de Tefé (AM) a Atalaia do Norte (AM), e um total de 13 municípios e 1,1 mil quilômetros de percurso; e a 03, que liga as capitais de Belém a Macapá, cobrindo seis municípios e 858 quilômetros. A rota 04, que liga as cidades de Vila Moura, no Amazonas, a capital de Roraima, Boa Vista, com 610 quilômetros e 430 mil habitantes, será entregue no início do próximo ano.

Conforme o executivo, a construção da rota 05, a partir do próximo ano,  que liga as cidades de Autazes (AM) a Porto Velho, (RO), será a mais desafiadora, pois a sua construção se dará em um dos rios mais caudalosos da Amazônia.

Mitigação de interferência

Segundo Guerra, a EAF está para concluir todo o projeto de desocupação e mitigação das antenas profissionais de TV, conhecidas como FSS, antecipando em mais de dois anos o cronograma previsto. “São 19 mil estações e já mitigamos 87% delas. Até o final do ano concluiremos essa obrigação”, afirmou, assinalando que a inovação regulatória criada pela Anatel, de estabelecer uma efetiva parceria público-privada, na qual as empresas privadas executam as obrigações do Poder Público tem chamado a atenção de outros governos da América Latina.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2202