Microsoft anuncia a demissão de 10 mil funcionários

Dispensas devem ocorrer até o fim do terceiro trimestre do ano fiscal de 2023, confirma CEO Satya Nadella; empresa, no entanto, diz que continuará contratando para setores estratégicos, citando IA
Microsoft confirma a demissão de 10 mil empregados
Apesar da demissão de 10 mil empregados, Microsoft pretende recrutar para áreas estratégicas (crédito: Freepik)

A Microsoft anunciou, nesta quarta-feira, 18, que vai demitir aproximadamente 10 mil funcionários. As demissões devem ocorrer até o fim do terceiro trimestre do ano fiscal de 2023. No entanto, parte das notificações de desligamento será enviada ainda hoje.

O corte foi confirmado pelo CEO da Microsoft, Satya Nadella, em publicação em um blog no site da empresa. Segundo ele, o total de dispensas equivale a menos do que 5% do quadro funcional da gigante de tecnologia.

O diretor-executivo apontou as mudanças do comportamento do consumidor e a desaceleração da economia global como fatores responsáveis pelas demissões.

“Primeiro, vimos os consumidores acelerarem os gastos digitais durante a pandemia, agora estamos vendo-os otimizarem os gastos digitais para fazer mais com menos”, avaliou o CEO. “Também estamos vendo organizações em todas as indústrias e geografias agindo com cautela, pois algumas partes do mundo estão em recessão e outras estão prevendo uma”, complementou.

Nadella também informou que, apesar das demissões, a empresa continuará contratando para áreas estratégicas. No mesmo post, ele cita que a “próxima grande onda em computação está nascendo com avanços em Inteligência Artificial (IA)”.

“Continuaremos a investir em áreas estratégicas para o nosso futuro, o que significa que estamos alocando nosso capital e talento em áreas de crescimento secular e competitividade de longo prazo para a empresa, enquanto desinvestimos em outras áreas”, reforçou.

Nesse sentido, Nadella disse que a empresa assumirá uma cobrança de US$ 1,2 bilhão (aproximadamente R$ 6,10 bilhões) no segundo trimestre referente a custos de rescisão, alterações no portfolio de hardware e de aluguel, à medida que a empresa remodela os espaços de trabalho.

Nos Estados Unidos, os funcionários demitidos receberão benefícios como indenização acima do mercado, cobertura de assistência médica por seis meses, prêmios de ações por seis meses, serviços de transição de carreira e aviso prévio de 60 dias antes da rescisão. Em outros países, a empresa seguirá as determinações das legislações trabalhistas locais.

Com o anúncio do corte de empregados, a Microsoft se junta a outras big techs que demitiram em massa recentemente. Na primeira semana de 2023, a Amazon divulgou a dispensa de 18 mil funcionários.

A Meta, dona do Facebook e do Instagram, demitiu mais de 11 mil trabalhadores em novembro do ano passado. No mesmo mês, o Twitter cortou metade de sua força de trabalho.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 711