Meta, dona do Facebook, vai demitir mais de 11 mil funcionários

Mark Zuckerberg, CEO da companhia, assumiu a responsabilidade pelo corte, que deve diminuir o quadro funcional da empresa em 13%; contratações ficam congeladas até o primeiro trimestre de 2023
Meta vai demitir mais de 11 mil empregados
Meta vai demitir mais 11 mil funcionários, informou oficialmente ao mercado (crédito: Freepik)

A Meta, controladora do Facebook, Instagram e WhatsApp, anunciou, nesta quarta-feira, 9, que vai demitir mais de 11 mil funcionários. O quadro funcional da empresa deve ser reduzido em 13%.

Em nota, Mark Zuckerberg, CEO da gigante de tecnologia, assumiu a responsabilidade pela demissão em massa. “Quero assumir a responsabilidade por essas decisões e por como chegamos aqui. Eu sei que isso é difícil para todos, e lamento especialmente pelos afetados”, afirmou.

O corte, em números absolutos, é cerca de três vezes maior do que o realizado pelo Twitter na semana passada, quando o microblog demitiu aproximadamente metade da força de trabalho.

No comunicado, Zuckerberg também ressaltou que a Meta vai tomar medidas adicionais para se tornar mais enxuta e eficiente, reduzindo gastos discricionários e congelando contratações até o primeiro trimestre de 2023.

O fundador do Facebook disse que fez uma leitura equivocada do mercado no início da pandemia de covid-19. Naquele período, o comércio eletrônico teve um crescimento exponencial, com alguns analistas indicando que se tratava de uma aceleração permanente, mesmo após o eventual término do período pandêmico.

“Eu também, então, tomei a decisão de aumentar significativamente os nossos investimentos. Infelizmente, isso não aconteceu do jeito que eu esperava”, declarou Zuckerberg.

Segundo ele, a receita da Meta caiu porque a tendência de alta do comércio eletrônico começou a se reverter. O enfraquecimento da economia norte-americana, o aumento da concorrência e a perda de anúncios também contribuíram para que a receita da empresa fosse menor do que o estimado pela gestão.

“Avaliei de forma errada e assumo a responsabilidade por isso”, frisou.

Nesse sentido, Zuckerberg apontou que a empresa vai direcionar os recursos para um número menor de áreas de crescimento prioritárias, citando Inteligência Artificial (IA), anúncios, plataformas de negócios e o metaverso – este último tem sido alvo de críticas dos acionistas da empresa.

DEMISSÕES

Segundo a empresa, todos os funcionários atingidos pelo corte receberão um e-mail sobre o processo de demissão.

Nos Estados Unidos, a Meta vai pagar 16 semanas de salário base mais duas semanais adicionais por ano de serviço. A empresa também vai cobrir seis meses do plano de saúde dos empregados e de seus familiares.

No comunicado, a companhia diz que o processo será similar em outros países, levando em conta as legislações trabalhistas locais.

O Tele.Síntese entrou em contato com a assessoria de imprensa da Meta no Brasil, mas, até o momento, a empresa não compartilhou detalhes a respeito do corte de funcionários no País.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 711