MCom e Anatel adotam ações emergenciais após ciclone atingir região Sul

Telebras vai fornecer antenas fixas de banda larga via satélite às cidades atingidas; órgão regulador coordena liberação do roaming e compartilhamento de infraestruturas com operadoras
MCom e Anatel anunciam ações de emergência para restabelecer comunicação em locais afetadas por ciclone na região Sul
Área atingida por ciclone em Florianópolis; MCom e Anatel anunciam ações de emergência para locais afetados na região Sul (crédito: Isac Nóbrega/PR/Agência Brasil)

Para prover conectividade às populações afetadas pelo ciclone extratropical seguido de intensas chuvas nos estados do Sul nos últimos dias, o Ministério das Comunicações (MCom) anunciou, nesta quarta-feira, 6, que vai fornecer antenas fixas de banda larga via satélite às cidades atingidas pelo fenômeno climático.

Os equipamentos serão encaminhados pela Telebras, conforme decisão tomada em reunião emergencial, que envolveu o ministro Juscelino Filho e representantes de operadoras e associações do setor.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), por sua vez, acionou os protocolos emergenciais para situações de crise, os quais envolvem a liberação do roaming nos locais do Sul do País em que as redes de telecomunicações foram danificadas pelo ciclone, bem como o compartilhamento de infraestruturas. As operadoras presentes à reunião (Claro, TIM, Vivo, Algar e Oi) se comprometeram a atender às solicitações.

Eram 39 municípios com afetação nos serviços de telefonia móvel nesta quarta-feira, 6, às 19h. Destes, 20 com afetação de 100%, isto é, nenhuma operadora está com sinal ativo. Nos outros 19 há afetação parcial, quando há sinal de alguma prestadora. Veja a lista aqui.

Além disso, de acordo com a assessoria de imprensa do órgão regulador, alguns sites já foram recuperados, devendo contribuir para o restabelecimento dos sinais de telefonia e internet. A Anatel ficou encarregada de fazer boletins periódicos de acompanhamento das áreas afetadas.

Segundo o MCom, as ações serão coordenadas por um grupo de trabalho emergencial da pasta.

“O MCom já está atuando junto às entidades do setor, operadoras de rede móvel e provedores de internet para viabilizarmos a conectividade das equipes de apoio humanitário e para que as pessoas atingidas pelas chuvas intensas e enxurradas possam se recuperar, pois a comunicação, especialmente pela internet, também é um direito que devemos assegurar a todos”, disse o ministro Juscelino Filho.

Em comunicado, o ministério destacou que os provedores de serviços de internet (ISPs) afetados pela queda de postes irão disponibilizar cabos de fibra óptica para restaurar os serviços de comunicação, sobretudo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, estados onde ficam os municípios mais impactados.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10673