Lucro da Telefónica cai 34,5% no terceiro trimestre

Receita da companhia, por outro lado, teve alta de 11,2%, com destaque para os ganhos no Brasil (29%) e na América Hispânica (18,2%)
Telefónica viu o lucro líquido cair no terceiro trimestre
Telefónica tem queda no lucro líquido no terceiro trimestre; baixa no acumulado do ano é ainda mais robusta (crédito: Freepik)

A Telefónica informou que obteve lucro líquido de 460 milhões de euros no terceiro trimestre, queda de 34,5% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando reportou 706 milhões de euros.

No acumulado do ano até setembro, o recuou é ainda mais expressivo. Nos nove primeiros meses de 2022, o lucro da gigante de telecomunicações ficou em 1,486 bilhão de euros, contra 9,335 bilhões de euros registrados em igual período de 2021, o que representa uma baixa de 84,1%.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 4, em relatório financeiro da companhia.

Apesar da queda do lucro, a receita da empresa teve alta de 11,2% no terceiro trimestre, chegando a 10,343 bilhões de euros, ante 9,298 bilhões de euros do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o crescimento da receita se deveu aos aumentos de dois dígitos no Brasil (29%) e na América Hispânica (18,2%). Também houve avanços na Alemanha (6%) e na Espanha (0,2%).

No trimestre, o resultado operacional antes de amortizações caiu 13%, para 3,249 bilhões de euros, em razão dos ganhos de capital registrados no mesmo período de 2021, que superaram 700 milhões de euros e vieram de operações como a criação da FiBrasil e a venda de ativos em outros mercados.

Segundo a Telefónica, os serviços da empresa seguem avançando nos principais territórios em que atua.

“No Brasil, a Vivo continua integrando o acesso móvel da Oi e capturando sinergias”, afirma a companhia a respeito dos resultados obtidos no País. “[A marca] mantém forte tração comercial, principalmente em contratos e em FTTH”, complementa.

Além disso, a companhia espanhola reforçou o compromisso com as metas financeiras estabelecidas para este ano.

“Nesse período, a empresa dobrou sua geração de caixa em relação ao ano anterior, apesar do complexo ambiente de incertezas globais e da profunda crise energética e inflacionária. A Telefónica continua a executar seu plano estratégico, e a solidez de seu balanço permite atender às demandas desta nova era digital”, afirma José María Álvarez-Pallete, presidente da tele, em comunicado.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10510