Grupo Telefónica tem alta de 9,3% no lucro no terceiro trimestre de 2023

Entre as operações da holding, a Vivo foi a unidade que mais ampliou as receitas no período; companhia também conseguiu reduzir a dívida financeira em 942 milhões de euros
Telefónica tem alta no lucro líquido no terceiro trimestre de 2023
Lucro da Telefónica cresce no terceiro trimestre de 2023 (crédito: Divulgação)

O Grupo Telefónica divulgou, nesta quarta-feira, 8, os resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre deste ano, período em que auferiu lucro líquido de 502 milhões de euros (aproximadamente R$ 2,6 bilhões), alta de 9,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o lucro foi de 460 milhões de euros (R$ 2,4 bilhões).

A receita líquida somou 10,3 bilhões de euros (R$ 53,7 bilhões), estável (-0,2%) na comparação com o mesmo período de 2022. Incluindo a Virgin Media O2 (VMO2), operadora britânica da qual detém 50% do capital, a receita do grupo totalizou 11,8 bilhões de euros (R$ 61,5 bilhões), avançando 2,5%.

Ainda no que diz respeito à receita, o destaque do período, em termos percentuais, foi a Vivo, cujo faturamento cresceu 7,5% entre julho e setembro deste ano. A receita também avançou na Espanha (1%), Alemanha (2,2%) e no Reino Unido (7,1%). Por outro lado, houve queda de 2,7% na América Latina (Argentina, Peru, Chile, Colômbia e México).

“O Brasil segue crescendo em receitas, EBITDA e EBTIDA-CapEx”, destacou a Telefónica, em trecho do balanço financeiro.

O documento ainda lembra que a Vivo assinou um compromisso de investimento de até R$ 250 milhões com a Polígono Capital. Destinado à Vivo Money, o montante deve ser utilizado em um período de 24 meses. “Este investimento fortalecerá a posição da Vivo como hub de serviços digitais”, assinalou a controladora.

Lucro operacional, capex e dívida

O resultado operacional antes de depreciação e amortização do Grupo Telefónica totalizou 3,3 bilhões de euros (R$ 17,2 bilhões), alta anual de 2,5%. A margem, na comparação interanual, avançou 0,9 ponto percentual, chegando a 32,3%.

No terceiro trimestre, o capex, incluindo espectro, caiu 4,4%, ficando em 1,47 bilhão de euros (R$ 7,66 bilhões). O indicador de investimento em bens de capital recuou em todos os mercados, exceto no Brasil, onde avançou 8,3% no período de julho a setembro.

A Telefónica informou que reduziu a dívida financeira líquida em cerca de 942 milhões de euros (R$ 4,9 bilhões). Com isso, o total caiu para 26,5 bilhões de euros (R$ 138,1 bilhões).

“Depois do sólido desempenho registado no terceiro trimestre, a empresa confirma tanto as suas previsões para o conjunto do ano, revistas para cima em julho passado, como o seu compromisso com a remuneração ao acionista para 2023”, afirma a multinacional.

Para o consolidado do ano, a empresa projeta alta de 4% na receita e de 3% no lucro operacional antes de depreciação e amortização.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 813