Algar Telecom volta ao azul, mas lucro cai 69,8% no terceiro trimestre de 2022

Empresa reverteu o prejuízo do segundo trimestre, mas taxas de juros e inflação elevadas impactaram as despesas da operadora, que reduziu os investimentos
Lucro da Algar Telecom cai no terceiro trimestre
Algar Telecom vê lucro cair no terceiro trimestre, mas reverteu prejuízo do período anterior (crédito: Freepik)

A Algar Telecom obteve lucro líquido de R$ 28,6 milhões no terceiro trimestre deste ano. O resultado, no entanto, aponta uma baixa de 69,8% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, quando a empresa lucrou R$ 94,7 milhões. Ainda assim, foi o suficiente para que a companhia revertesse o prejuízo de R$ 3 milhões do segundo trimestre.

Em relatório financeiro divulgado na terça-feira, 8, a operadora diz que “esse decréscimo é resultado do impacto do aumento das taxas de juros nas nossas despesas financeiras, que mais do que compensaram o crescimento do EBITDA”.

Nos nove primeiros meses do ano, o lucro da Algar chegou a R$ 35,7 milhões, queda de 82,2% em relação ao observado de janeiro a setembro de 2021 (R$ 201,2 milhões).

O documento mostra que os investimentos da empresa também diminuíram, passando de R$ 584,7 milhões, no terceiro trimestre de 2021, para R$ 192,9 milhões, no mesmo período deste ano. A queda foi de 67%. Ante o segundo trimestre, quando a Algar investiu R$ 291 milhões, a baixa ficou em 33,7%.

“Destinamos recursos prioritariamente para a conexão de novos clientes em regiões onde já atuávamos, alavancando a infraestrutura construída e as aquisições realizadas nos últimos anos”, afirma a companhia a respeito dos investimentos.

Por outro lado, a receita líquida avançou no terceiro trimestre (R$ 722,6 milhões) e no acumulado do ano até setembro (R$ 2,084 bilhões), crescendo 7,5% e 11%, respectivamente. A alta foi impulsionada pelo segmento B2B, cuja receita cresceu 11,5% na comparação com o terceiro trimestre de 2021.

De acordo com o relatório, o número de clientes B2B cresceu 9,6%, para 194,2 mil. Os destaques foram as receitas dos serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Machine-to-machine (M2M), que avançaram, respectivamente, 23% e 58,8%.

A Algar atribui a alta trimestral modesta da receita bruta (0,8%, na comparação anual) à “redução das alíquotas de ICMS de serviços de comunicação, a partir de 23 de junho de 2022, e que resultou em uma queda de aproximadamente R$ 46 milhões no total” apurado.

O EBTIDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado cresceu 5,1% no terceiro período do ano, atingindo R$ 304,8 milhões.

Os custos operacionais somaram R$ 417,8 milhões, alta de 9,3% sobre o terceiro trimestre do ano anterior. Segundo a Algar, as despesas cresceram em razão da “escassez na cadeia global de suprimentos e consequente pressão inflacionária”, além dos gastos da Vogel Telecom, adquirida em agosto de 2021.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10693