Itaú Unibanco adota solução contra golpe da falsa central de atendimento

Tecnologia desenvolvida pela DialMyApp identifica, emite um aviso na tela do celular e interrompe imediatamente a ligação falsa

Itaú Unibanco: nova solução contra golpe da falsa central telefônica

O golpe da falsa central de atendimento é uma das principais fraudes financeiras aplicadas contra clientes bancários, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos. Para driblar a ação dos golpistas, o Itaú Unibanco implementou uma solução que interrompe chamada de falsas centrais telefônicas. Chamada de Protect Call e desenvolvida pela empresa DialMyApp, a tecnologia consegue identificar tentativas de golpe durante a ligação. A partir daí, exige um aviso na tela do celular do cliente, interrompendo a chamada imediatamente. O aviso aparece com o logotipo e as cores do Itaú, que com a iniciativa busca elevar a sua taxa interna de detecção de crimes, atualmente em 80%.

“Nos últimos cinco anos, dobramos nosso investimento em tecnologia de segurança, contando com uma equipe de mais de 1000 profissionais dedicados exclusivamente à segurança financeira dos clientes. Nosso compromisso é aprimorar continuamente as medidas de segurança do banco,” afirma Adriano Volpini, diretor de Segurança Corporativa do Itaú Unibanco.

Empresa sueca criada em 2014, a DialMyApp atua no Brasil desde 2018 e desenvolveu a Protect Call a partir de uma comunidade B2B colaborativa, que conta com a parceria de 150 grandes empresas do país. A tecnologia está presente em mais de 100 milhões de dispositivos e conta com mais de 600 milhões de regristros de downloads.

A Protect Call é compatível com os aplicativos das principais operadoras – Claro, Tim, Nextel, Oi e Algar – e está disponível nos smartphones da Samsung e LG com Android. De acordo com o Itaú, em breve, a funcionalidade será estendida também aos usuários do app Itaú e para a base de clientes da Apple com dispositivos iOS.

Os clientes do Itaú que possuem aparelhos Samsung ou LG, ou que utilizam operadoras como Claro, Tim, Nextel, Oi e Algar, devem acessar os aplicativos das respectivas operadoras e conceder permissões específicas para ativar o Protect Call. Dessa forma, permitirá que a ferramenta intercepte as chamadas caracterizadas como golpe da falsa central de atendimento e apresente os avisos de segurança necessários para proteger o usuário de golpes. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10570