Governo quer tornar agências dos Correios pontos de internet gratuita

Projeto em estudo pretende aproveitar a ampla presença das unidades em todas regiões do país como peça na estratégia de universalização da conectividade.
Governo quer tornar agências dos Correios pontos de internet gratuita
Unidades dos Correios longe dos centros urbanos podem se tornar ponto de wifi gratuito |Foto: Prefeitura de Quatro Pontes

O governo federal estuda a instalação de wifi livre nas agências dos Correios, transformando as unidades em pontos de acesso gratuito à internet. A ideia está sendo discutida pelo Ministério das Comunicações (MCom) e faz parte do plano de reestruturação e nova fase da estatal. 

O presidente dos Correios, Fabiano Silva, defende que a empresa possa ser reconhecida para além do serviço postal, mas também pela “função social”. 

“Nós temos essa função social que é de estar presente em todos os municípios. Todo município que você vai tem uma agência.  Nós vamos querer colocar internet em todo lugar, pra que quando a pessoa chegar lá na ‘praça dos Correios’, em qualquer cidadezinha, possa acessar a internet”, contou Silva ao Tele.Síntese

O presidente ressalta que esse projeto de conexão está apenas em fase inicial de discussão, inclusive a possibilidade de parcerias. Apesar disso, o desejo é de avançar em uma proposta concreta sobre o tema ainda este ano.

Nova fase 

Com uma rede composta de 9.456 pontos de atendimento, distribuídos em 5.553 municípios, os Correios segue em plano de extensão.  De acordo com a Carta Anual de Políticas Públicas e Governança Corporativa, referente ao ano 2022, a estatal está apoiando negociações com as prefeituras municipais, criação de canais alternativos de atendimento e ações de melhoria para uma maior atratividade na alocação de pessoal em localidades distantes dos centros urbanos. 

A gestão de Fabiano Silva se dá em pleno momento de reestruturação. Os Correios era uma das estatais no plano de privatizações do governo Bolsonaro. Com a eleição de Lula, a expectativa de manutenção e reforço de investimento na empresa pública já começou ainda na transição.

No final de junho, o Conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) recomendou oficialmente a exclusão de uma série de empresas públicas do Programa Nacional de Desestatização, entre elas, os Correios. A equipe trabalha em mudanças que serão consolidadas nos próximos anos, entre elas, o aprimoramento do modelo de negócios e reposicionamento para contribuir com as políticas públicas.

“A comunicação é uma garantia que o estado brasileiro tem que dar para que todas as pessoas, em qualquer parte do país, tenham esse direito. Quem garante isso somos nós, os Correios”, afirma Silva.

Avatar photo

Carolina Cruz

Repórter com trajetória em redações da Rede Globo e Grupo Cofina. Atualmente na cobertura dos Três Poderes, em Brasília, e da inovação, onde ela estiver.

Artigos: 916