Vivo quer se tornar líder em serviços financeiros

O CEO da Vivo, Christian Gebara diz que o projeto piloto de financiamento de smartphones e notebooks foi bem sucedido e, por isso, será ampliado.

56% das transações financeiras são pelo celular, diz Febraban

O CEO da Vivo, Christian Gebara, disse hoje, 26, em conferência com analistas, que a empresa tem a meta de se tornar líder no Brasil em serviços financeiros. Ele afirmou que a operadora encontrou seu modelo de atuação no mercado de massa para empréstimos, pagamento de contas e seguros, e que está prestes a lançar mais produtos nos segmento.

Gebara ressaltou que, através da Vivo Ventures, comprou parte da Klavi, fintech especializada no lançamento ágil de novos produtos financeiros a partir de plataforma SaaS (software as a service).

“O Vivo Money está crescendo muito, tanto em crédito, quanto em contas. Podemos escalar a base e os tipos de serviços financeiros. Vamos começar com a oferta de crédito para aquisição de smartphones e notebooks pela Vivo, área em que já tivemos um piloto bem sucedido”, avisou.

Segundo ele, o Vivo Money encerrou o mês de setembro de 2022 com cerca de R$ 160 milhões de crédito concedido desde o seu lançamento. O valor mensal de crédito originado aumentou em 8,3x em relação ao 3T21 e o número mensal de novos contratos cresceu 5,5x em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

“As margens desses negócios são altas, e capturam muito valor. Em alguns casos, vamos ter serviços para aumentar o engajamento e reduzir churn [rotatividade] de clientes. Então depende do serviço, para cada um há um modelo e um KPI [metas]. Estamos prontos para ser um ecossistema e temos os ativos para ser um vencedor no mercado brasileiro [de serviços financeiros]”, completou.

O segmento de finanças é apenas um dos que são incluídos no rol de serviços digitais prestados pela operadora com o intuito estratégico de diversificar receitas. A empresa revelou que em um ano, as receitas com cibersegurança, nuvem, IoT, mensageria e outras soluções digitais cresceram 33% entre setembro de 2021 e setembro de 2022, alcançando R$ 2,5 bilhões – o que representa 5,3% das receitas totais da companhia.

A Vivo divulgou na noite de ontem, 25, os resultados do terceiro trimestre do ano, em que registrou lucro de R$ 1,4 bilhão.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4219