Governo da Itália aprova compra de participação em unidade de rede fixa do Grupo TIM

Decreto prevê que governo desembolse até 2,2 bilhões de euros para ficar como sócio minoritário da NetCo, cuja venda está sendo negociada pela Telecom Italia com o fundo KKR; Tesouro também tem interesse em subsidiária de cabos submarinos
Governo da Itália acena com compra de participação em unidade de rede fixa do Grupo TIM
Compra de participação em unidade de rede fixa do Grupo TIM é estratégica para o governo da Itália (crédito: Divulgação)

O governo italiano assinou um decreto que prevê apoio financeiro para que o Ministério da Economia e das Finanças adquira uma participação minoritária na NetCo, braço de infraestrutura fixa à venda pelo Grupo TIM (antiga Telecom Italia). O valor aprovado é de até 2,2 bilhões de euros (aproximadamente R$ 11,61 bilhões).

A companhia de telecomunicações, dona da TIM Brasil, negocia a venda da unidade de rede fixa com o fundo norte-americano KKR. Com isso, a intenção do governo italiano, caso o acordo seja selado, é manter uma participação minoritária no ativo.

Em junho, o conselho de administração do Grupo TIM informou que, após avaliar as propostas apresentadas pela NetCo, decidiu seguir negociando exclusivamente com a KKR. A empresa aguarda a apresentação de uma oferta vinculante pela unidade de rede fixa até 30 de setembro.

De certa forma, o governo italiano também estava no páreo pelo ativo. Uma proposta não vinculante do banco estatal Cassa Depositi e Prestiti Spa, em parceria com o grupo financeiro Macquarie Asset Management, foi levada ao Grupo TIM. No entanto, a oferta da KKR foi escolhida por apresentar valores maiores – estima-se que gire em torno de 23 bilhões de euros (R$ 121,35 bilhões).

A expectativa é de que o governo fique com uma participação de 15% a 20% da NetCo. Um acordo preliminar nesse sentido foi assinado pelo Tesouro italiano e o fundo norte-americano.

Cabos submarinos

Com nome provisório, a NetCo é a unidade de rede fixa do Grupo TIM na Itália. O ativo inclui a FiberCop, empresa de infraestrutura de fibra óptica, e a Sparkle, braço responsável pela rede de cabos submarinos.

De acordo com a Reuters, o Tesouro italiano também tenta adquirir o controle completo da Sparkle. A agência de notícias reportou que um decreto prevê que a unidade de cabos submarinos seja adquirida pelo governo “em uma etapa posterior”. Estima-se que a rede de cabos subaquáticos se estenda por mais de 600 mil quilômetros.

Conforme balanço do segundo trimestre deste ano, a receita da NetCo cresceu 7,8%, na comparação com o mesmo período do ano passado. O Grupo TIM planeja vender a unidade para reduzir o endividamento, que chegou a 26,16 bilhões de euros (R$ 138 bilhões) ao término do mês de junho.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 711