Governo italiano deve ser sócio da rede fixa do Grupo TIM

O fundo de private equity KKR fechou acordo com o Ministério de Finanças da Itália que permitirá uma participação de até 20% do governo no capital social da empresa de rede a ser criada.
governo italiano será sócio da Telecom Italia. Crédito-Freepik
Monumento italiano. Crédito-Freepik

O governo italiano deverá ser sócio da Telecom Italia, com participação de até 20% no capital da nova empresa de rede fixa, que será vendida para o fundo de private equity estadunidense KKR, é o que informam as agências de notícias internacionais. Conforme as informações, o tesouro italiano, por intermédio do Ministério das Finanças, assinou hoje, 10 de agosto, um acordo preliminar com a KKR, que lhe garantiria uma participação minoritária na empresa.

O governo considera fundamental deter uma participação nesse ativo de rede de transporte e acesso de fibra, informaram fontes da Itália, e por isso teria procurado a empresa dos Estados Unidos em busca de um acordo. O governo tentou adquirir uma parcela maior da nova empresa de rede que será criada, através do banco estatal italiano Cassa Depositi e Prestiti Spa, que tinha firmado parceria com Macquarie Asset Management para uma oferta de compra da unidade à venda. Mas a oferta do KKR acabou sendo a escolhida, por ter sido a maior.

Decisão

Conforme a agência Reuters, o memorando de entendimento assinado hoje entre o governo e a KKR prevê que, além de participação de até 20% de qualquer oferta vinculante a ser feita pelo fundo, o governo também terá papel fundamental nas decisões estratégicas relacionadas à rede da Telecom Italia.

O fundo tem até o mês de setembro para fazer a sua oferta vinculante, e as negociações foram abertas em junho.  Não se sabe formalmente qual foi a proposta aceita pelo board da Telecom Italia, mas as agências dão como certa a quantia de 23 bilhões de euros, incluindo alguns pagamentos adicionais de parte da dívida da operadora.

Esse valor é bem maior ao inicialmente ofertado pelo fundo, em 2021, que ficava em torno de 10,8 bilhões de euros, o que já representava, naquele ano um prêmio de quase 50%.

A Telecom Italia é controladora da TIM Brasil, que, no último dia 31, reportou o resultado do segundo trimestre, mais do que dobrando (104%) o lucro líquido normalizado, chegando R$ 638 milhões, ante R$ 313 milhões auferidos no mesmo período do ano passado. “O resultado expressivo é reflexo de uma performance destacada em todas as linhas do resultado do segundo trimestre”, frisou a empresa.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10596