Empresas brasileiras recorrem mais à nuvem híbrida para acelerar a transformação digital

Pesquisa da IBM indica que 83% dos chefes de TI adotam abordagens em nuvem no País, taxa superior à média mundial; contudo, escassez de talentos compromete uso mais consistente das soluções em nuvem
Nuvem híbrida é bastante usada por empresas brasileiras
Nuvem híbrida é bastante usada por empresas brasileiras (crédito: Freepik)

Pesquisa da IBM aponta que 83% dos líderes empresariais e de TI no Brasil adotam abordagens de nuvem híbrida para impulsionar a transformação digital das empresas. O percentual brasileiro é superior à média mundial (77%) e de países desenvolvidos, como Japão e Estados Unidos.

O levantamento, no entanto, mostra que a maioria das organizações no País tem dificuldades para fazer com que todos os ambientes de nuvem funcionem conjuntamente. Apenas 27% dos entrevistados, por exemplo, gerenciam ecossistemas de nuvem híbrida de forma holística, o que pode criar pontos cegos e pôr os dados em risco.

Além disso, no Brasil, 76% dos entrevistados consideram difícil realizar todo o potencial de uma transformação digital sem ter uma sólida estratégia de nuvem híbrida em andamento.

Por outro lado, a pesquisa indica que 89% das lideranças nacionais reconhecem o valor que investimentos em soluções em nuvem (pública, privada, multi ou híbrida) podem oferecer, taxa que também supera a média global (79%).

Segurança e regulação

Segundo a IBM, as ameaças cibernéticas impedem a total integração do ecossistema empresarial. No Brasil, 35% dos entrevistados apontaram questões de segurança como empecilho para integrar as cargas de trabalho entre os ambientes. Além disso, 51% dizem que os riscos de segurança representam um grande desafio para as empresas que desejam incorporar parceiros do ecossistema de negócios em ambientes de nuvem.

Conforme a mesma pesquisa, 38% dos respondentes no Brasil acreditam que garantir a conformidade na nuvem é, no momento, muito difícil, ao passo que 23% citam problemas de conformidade regulatória como uma barreira importante para a integração do trabalho em ambientes de TI privados e públicos.

Por fim, o estudo da IBM mostra que a escassez de habilidades e talentos tem impedido o avanço no que diz respeito ao uso consistente da nuvem no ambiente corporativo. Para 63% dos entrevistados no País, suas equipes não têm as competências necessárias para serem proficientes no gerenciamento de aplicativos de nuvem.

Intitulado “IBM Transformation Index: State of Cloud” (Índice de transformação IBM: estado da nuvem, em tradução livre), o estudo foi realizado de 8 de junho a 17 de julho de 2022 em 12 países (Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, França, Índia, Japão, China, Brasil, Espanha, Cingapura e Austrália). A pesquisa entrevistou 3.014 profissionais de TI e negócios em empresas com receita anual superior a US$ 500 milhões.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10589