Cisco e Broadcom projetam solução AFC para viabilizar WiFi 6E outdoor no Brasil

Aplicação impede que rede sem fio sofra interferência na banda de 6 Ghz em ambientes externos; Anatel diz que destinação da frequência para uso não licenciado dependerá de harmonia global em torno do assunto
Cisco e Broadcom desenvolvem solução AFC para uso do WiFi 6E outdoor
Cisco e Broadcom desenvolvem solução AFC para uso do WiFi 6E outdoor (crédito: Freepik)

A Cisco e a Broadcom, parceiras no projeto Telecom Infra Project, concluíram a fase de aprovação e integração de suas tecnologias para viabilizar uma solução aberta de coordenação automatizada de frequência (Open AFC, na sigla em inglês) para uso externo do WiFi 6E no Brasil. A rede sem fio funciona na banda de 6 Ghz.

Na prática, a solução deve permitir o uso do WiFi 6E em áreas externas (outdoor) sem causar interferência com outros serviços no mesmo espectro de radiofrequência.

O anúncio foi comunicado, nesta quinta-feira, 17, pela Dynamic Spectrum Alliance (DSA). A entidade destacou que a solução conta com o apoio de provedores de serviços de internet (ISPs) associados à Abrint. Além disso, a DSA disse que tem a expectativa de que “as condições para uso externo da faixa de 6 Ghz sejam liberadas pela Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações]”.

“A nova utilização do espectro para WiFi 6E outdoor no Brasil vai beneficiar os brasileiros que precisam de acesso à internet banda larga fixa, ampliando a conectividade no País”, afirmou Martha Suarez, presidente da DSA, em nota. “O sistema Open AFC facilita as operações dos provedores de pequena escala e está pronto para operar assim que a regulamentação for estabelecida pela Anatel”, acrescentou.

Anatel

Nesta quinta-feira, 17, durante evento sobre cidades inteligentes promovido pelo Tele.Síntese, o superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação da Anatel, Vinícius Caram, disse que a agência ainda estuda quem será o responsável por operar a tecnologia AFC no País.

Além disso, Caram afirmou que o órgão regulador está “vendo os requisitos técnicos para uso do WiFi 6E outdoor”, o que inclui a realização de mais testes. Até o momento, a posição da agência é de destinar toda a faixa de 6 GHz, inclusive em ambientes externos, para uso não licenciado, isto é, para as redes sem fio, não deixando espaço para redes móveis.

No entanto, Caram informou que, após a consulta pública, a Anatel resolveu adotar uma postura mais cautelosa sobre o tema.

“Acredito que o modelo tem que avançar de forma harmonizada com o resto do mundo. Temos que esperar uma harmonização mundial do WiFi 6E outdoor”, afirmou o superintendente da agência. “Um dos países que estamos acompanhando são os Estados Unidos, que, até o momento, não conseguiram pôr os requisitos técnicos em equipamentos. Não podemos estabelecer parâmetros se não tivermos escala no WiFi 6E outdoor”, reforçou.

De dezembro do ano passado a março deste ano, a Anatel autorizou a realização de um teste de WiFi 6E em São Paulo. O experimento foi conduzido pela Qualcomm e contou com uma licença de Uso Temporário de Espectro (UTE) na banda de 6 GHz.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 799