Avança o cell broadcast para monitorar situações de emergência

Segundo o presidente da Anatel, Carlos Baigorri,  essa tecnologia será muito mais eficiente na divulgação das informações preventivas e em situações de risco.
Cel broadcast será implementada no Brasil. Crédito - Feepik
As redes de celular terão que ser adaptadas a essa tecnologia. Crédito-Freepik

A tecnologia conhecida como Cell Broadcast começa a ser  implementada pelas operadoras de telecomunicações brasileiras. Segundo o presidente da Anatel, Carlos Baigorri,  essa tecnologia será muito mais eficiente na divulgação das informações preventivas e em situações de risco, como aconteceu recentemente no litoral Norte de São Paulo, quando as fortes chuvas provocaram mortes, isolamentos da população e queda dos serviços de telecomunicações.

Com essa técnica incorporada às redes de telefonia celular, apenas as pessoas que poderão ser atingidas ou que enfrentam  situação emergencial é que terão acesso à informação. Ao contrário do que ocorre hoje com os alertas transmitidos pelas operadoras de celular via SMS. Isso porque, explicou ele, os alertas atuais são enviados para todas as pessoas cadastradas de uma determinada região, sendo elas afetadas ou não pela situação emergencial.

No caso do Cell broadcast, ao contrário, somente as pessoas que estarão próximas a uma antena de celular receberão o aviso e todas elas serão notificadas, não apenas as cadastradas, como acontece atualmente no SMS. “Os celulares poderão também emitir o aviso à população, colocando-se no papel das sirenes”, afirmou.

Durante o Carnaval deste ano, fortes chuvas no litoral Norte de São Paulo provocaram deslizamentos  de terra que derrubaram postes e romperam fibras críticas ao transporte de dados  para as cidades da região de São Sebastião, afetando os serviços de telecom. A tragédia matou mais de 48 pessoas.

Durante os dias com as fortes chuvas,  que as equipes de manutenção das operadoras trabalharam  para restabelecer os sinais conforme eram liberadas pela defesa civil, uma vez que a locomoção era precária e trazia riscos aos técnicos das empresas. A completa comunicação foi restabelecida alguns dias depois.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2174