Após lançamento, satélites Kuiper estão estáveis em órbita, diz Amazon

Lançados ao espaço no início do mês, protótipos da futura constelação de baixa órbita Kuiper devem iniciar os testes de roteamento de dados
Satélites Kuiper estão estáveis em orbita, diz Amazon
Protótipos dos satélites Kuiper foram lançados pela United Launch Alliance (crédito: Amazon)

Após lançar dois satélites ao espaço no início do mês, a Amazon emitiu, nesta segunda-feira, 16, um comunicado sobre o andamento da operação. Segundo a companhia, os dois primeiros satélites do Projeto Kuiper estão estáveis em órbita e em preparação para a fase de roteamento de dados de internet.

Considerados protótipos, os satélites KuiperSat-1 e o KuiperSat-2 foram lançados, no dia 6 de outubro, a bordo de um foguete Atlas V da United Launch Alliance (ULA). Os artefatos integram a Kuiper Protoflight, uma missão de testes que deve durar um mês para validar o design do sistema e o desempenho da rede.

“Há muito trabalho pela frente, mas, neste ponto da missão, estou entusiasmado em informar que o KuiperSat-1 e o KuiperSat-2 estão operando nominalmente”, disse Rajeev Badyal, vice-presidente de tecnologia do Projeto Kuiper, em nota. “Os dois satélites estão estáveis em órbita, captando energia do Sol e comunicando-se através de todas as ligações da Terra ao espaço e do espaço à Terra”, acrescentou.

Na próxima fase da missão, a Amazon vai testar a rede de dados de ponta a ponta. O experimento deve envolver o roteamento de dados de internet por meio da rede terrestre da empresa integrada à subsidiária Amazon Web Services (AWS). Também será usada uma antena de gateway terrestre até os satélites e, em seguida, até as antenas do terminal de um cliente. Os dados também serão enviados em outras direções, informou a empresa.

Constelação

A Amazon planeja iniciar a produção de satélites do Projeto Kuiper em Kirkland, Washington, ainda este ano. Os protótipos já no espaço devem ajudar a refinar o hardware, o software e a infraestrutura que farão parte de uma constelação de baixa órbita (LEO).

De acordo com a big tech, a produção do primeiro satélite definitivo está dentro do cronograma. Com isso, o artefato deve ser lançando no primeiro semestre de 2024.

Os primeiros testes com clientes comerciais devem ser realizados na segunda metade do ano que vem. Vale lembrar que a empresa já tem autorização para explorar o serviço satelital no Brasil.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 855