Austrália multa X, antigo Twitter, por falhas no combate ao abuso infantil

Plataforma foi multada em US$ 386 mil por não fornecer informações sobre prevenção e por não indicar ações a serem tomadas em caso de exploração de menores na rede social
X, antigo Twitter, é multado na Austrália por falta de transparência no combate ao abuso infantil
X, antigo Twitter, recebe multa na Austrália por falta de transparência no combate ao abuso infantil (crédito: Linda Yaccarino/Twitter)

A rede social X, antigo Twitter, recebeu uma multa equivalente a US$ 386 mil (aproximadamente R$ 1,9 milhão) na Austrália por não apresentar detalhes sobre suas práticas de prevenção ao abuso infantil, além de não conseguir combater a proliferação da exploração sexual infantil na plataforma.

Em relatório, o eSafety Commisioner (Comissário de Segurança Eletrônica, em tradução livre) da Austrália destacou que diversas plataformas online têm falhas no que diz respeito à transparência de suas abordagens para resolução de problemas relacionados ao tema.

O documento ainda aponta lacunas no modo como X, Google, TikTok, Twitch e Discord endereçam o enfrentamento de casos de exploração sexual na internet.

Em fevereiro deste ano, o órgão australiano já havia notificado as empresas, exigindo que respondessem a um questionário sobre medidas em vigor para combater o abuso infantil.

“Realmente, não podemos esperar ter qualquer responsabilidade da indústria online na abordagem deste problema sem uma transparência significativa, que é o que estes avisos pretendem trazer à tona”, afirma Julie Inman Grant, comissária à frente da instituição.

Diferentemente das outras plataformas, o X foi multado por não ter fornecido qualquer resposta a uma série de questões-chave, incluindo o tempo que leva para responder a denúncias de exploração sexual infantil, as medidas em curso para detectar casos de abuso em transmissões ao vivo e as ferramentas que utiliza para encontrar materiais relacionados ao assunto em suas páginas.

A rede social tem 28 dias para recorrer da decisão ou para pagar a multa.

Vale destacar que o Comissário de Segurança Eletrônica emitiu uma advertência específica ao Google. Segundo o órgão, a companhia forneceu diversas respostas genéricas a respeito das medidas de combate ao abuso infantil, além de ter apresentado diretrizes gerais em vez de ações específicas para prevenir e coibir a exploração de menores de idade.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 886