Amazon contrata SpaceX para lançar satélites Kuiper

Acordo prevê que companhia de Elon Musk faça três lançamentos para a Amazon em meados de 2025; projetos pilotos da constelação devem ocorrer ainda em 2024
Amazon contrata SpaceX para lançar satélites da constelação Kuiper em 2025
Foguete Falcon 9 em decolagem; Amazon fecha acordo de lançamentos de satélites com empresa de Elon Musk (crédito: X/Twitter/SpaceX)

A Amazon informou, nesta sexta-feira, 1º de dezembro, que assinou um contrato com a SpaceX para três lançamentos de satélites Kuiper. O acordo prevê que os artefatos decolem a bordo do foguete Falcon 9, em meados de 2025.

Em nota, a Amazon destacou que busca ter capacidade adicional para complementar os demais contratos de lançamento vigentes. A big tech tem negócios firmados com Arianespace, Blue Origin e United Launch Alliance (ULA), empresas aeroespaciais que ainda ficarão responsáveis pela maior parte dos lançamentos dos satélites da constelação de baixa órbita terrestre (LEO, na sigla em inglês).

“Os lançamentos adicionais com a SpaceX oferecem ainda mais capacidade para apoiar nosso cronograma de implantação”, disse a Amazon, em comunicado.

O Projeto Kuiper visa a criar uma rede de banda larga via satélite formada por 3.236 equipamentos. A iniciativa foi projetada para acomodar diversos fornecedores e veículos de lançamento.

Em outubro, a Amazon lançou dois protótipos ao espaço. A missão Protoflight se encontra estável em órbita e alcançou uma taxa de sucesso de 100% em seus testes de validação.

No fim deste ano, a companhia segue investindo na fabricação de satélites. A previsão é de que a produção em larga escala tenha início no primeiro semestre do ano que vem.

“Esperamos ter satélites suficientes implantados [em órbita] para iniciar os primeiros pilotos de clientes no segundo semestre de 2024”, indica a Amazon, que já tem autorização para explorar o serviço de banda larga no Brasil.

Apesar da parceria, a SpaceX, do bilionário Elon Musk, deve ser uma competidora da Amazon no mercado de conexão via satélite, uma vez que a empresa é responsável pela constelação Starlink, também na órbita baixa da Terra.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 853