Anatel registra queda de 15% nas reclamações em novembro

Cai o número de queixas sobre serviços de telefonia fixa e móvel, TV paga e banda larga.

shutterstock_Mikhail-hoboton-Popov_Consumidor_Abstratada_Geral_sufoco-720x320

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recebeu 263,3 mil reclamações de usuários contra prestadoras dos serviços de banda larga fixa, de telefonia móvel, de telefonia fixa e de TV  em novembro de 2017. Significa uma redução de 47,1 mil queixas (-15,2%) quando comparado com o mesmo mês de 2016.

A telefonia móvel apresentou queda de 27,7 mil reclamações (-17,9%), seguida da telefonia fixa, com redução 13,7 mil queixas (-19,3%), da banda larga fixa, com menos 3,9 mil reclamações (-8,8%), e da TV por Assinatura, com recuo de 2,3 mil queixas (-6,1%).

Empresas

Todas as empresas de telefonia móvel e fixa acompanhadas pela Anatel tiveram redução nas reclamações em novembro, quando comparado com o mesmo mês de 2016. Na telefonia móvel, a Vivo registrou 13,4 mil reclamações a menos e teve a maior redução de queixas (-32,7%). Depois vieram Claro, com menos 4,6 mil (-15,3%), TIM com diminuição de 3,9 mil (-7,0%), Nextel com redução de 3,3 mil (-35,1%), e Oi com menos 2,6 mil reclamações (-13,1%). Na telefonia fixa, a Oi registrou 9,9 mil reclamações a menos (-25,0%), seguida da Vivo com redução de 3,6 mil (-16,8%) e da NET com menos 0,5 mil reclamações (-5,7%).

Nos grupos acompanhados individualmente pela Anatel na TV por Assinatura, a Sky teve um acréscimo de 1,6 mil reclamações (+13,5%). Foi o único grupo que registrou aumento em novembro de 2017 em relação ao mesmo mês do ano passado. No entanto, apesar de o Grupo NET/Claro ter registrado 2,1 mil reclamações a menos (-11,5%), separadamente a NET registrou aumento de 0,4 mil queixas (3,1%) e a Claro redução de 2,5 mil reclamações (-38,6%). A Oi teve menos 1,4 mil queixas (-30,8%) e a Vivo menos 0,3 mil (-12,2%).

Na comparação entre novembro de 2017 e novembro de 2016, a NET apresentou um acréscimo de 0,8 mil reclamações na banda larga fixa (+ 12,5%). A Oi registrou queda de 4,1 mil (-20,3%) e a Vivo menos 2,5 mil queixas (-18,5%).

Reclamações por serviço

Em novembro de 2017, na telefonia móvel pós-paga, o maior conjunto de queixas foi relativo à cobrança (48,0%), seguido por reclamações relativas às ofertas e promoções (9,8%) e à qualidade, funcionamento e reparo (9,4%). Nos pré-pagos móveis, as reclamações relativas a crédito formaram o maior conjunto no mês (46,0%), ofertas e promoções ficaram em segundo (16,5%), seguidas das queixas sobre qualidade, funcionamento e reparo (13,9%). Na telefonia fixa, cobrança formou o principal conjunto de reclamações em novembro (40,0%), seguida das de qualidade, funcionamento e reparo (21,5%) e de cancelamento (7,7%).

Na TV por Assinatura em novembro de 2017, cobrança foi principal motivo de queixa dos usuários do serviço (46,9%), seguido de bloqueio ou suspensão (11,0%) e de ofertas e promoções (9,9%). Na banda larga fixa, qualidade, funcionamento e reparo foram os principais motivos de queixas dos usuários (46,2%), seguido de reclamações relativas à cobrança (22,8%) e à instalação ou ativação do serviço (9,5%). (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10589