‘A Telebras já é e será o maior instrumento de inclusão digital do país’, diz novo presidente

Novo gestor, ex-Oi, substituirá Jarbas Valente. Durante pronunciamento, ele defendeu a pauta da inclusão digital.

 

O novo presidente da Telebras, Frederico de Siqueira Filho, discursa durante solenidade de posse | Foto: Rafa Neddermeyer/ Agência Brasil

O novo presidente da Telebras, Frederico de Siqueira Filho, tomou posse nesta terça-feira, 23, em cerimônia realizada no Ministério das Comunicações (MCom). Ao Tele.Síntese, o novo gestor destacou a inclusão digital entre as prioridades. 

“A Telebras já é e será o principal instrumento de inclusão digital do país, por entender a realidade, por ter uma estrutura já montada, por ter um legado de rede já instalado. Isso contribui com o crescimento da toda a rede, contribui para a acessibilidade e a disponibilidade na ponta”, afirmou.

Durante o pronunciamento, Siqueira também reforçou que a inclusão digital é pauta prioritária do governo Lula e ele está alinhado, prometendo gerir “com compromisso de encontrar alternativas para impactar o máximo de pessoas possíveis, principalmente aquelas que mais precisam, levando conectividade em alta capacidade, com segurança, para os cantos e recantos do nosso Brasil”. 

Também no discurso de posse, o novo presidente da Telebras destacou  que pretende “sugerir melhorias naquilo que entender ser bom, tendo no centro de decisões dos nossos clientes os acionistas e os colaboradores  o controle de gastos de preservação do orçamento”.

Perfil

Antes da Telebras, Siqueira estava à frente da diretoria de Vendas Corporativas para o Governo na Oi Soluções, onde liderava o time comercial no Norte e Nordeste. Ao todo, sua trajetória na operadora soma mais de 20 anos.

Ainda na Oi, o novo presidente da Telebras também atuou como diretor de Relações Institucionais, entre 2008 e 2018, e gerente de canal de vendas empresariais, entre 2002 e 2008.

Siqueira é graduado em engenharia civil pela Universidade de Pernambuco e atua há 26 anos no setor de Telecomunicações e Tecnologia da Informação.

Futuro da Telebras

Nas vésperas de completar os primeiros 100 dias de governo, o Conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (CPPI) da Casa Civil da Presidência da República recomendou a exclusão da Telebras do Programa Nacional de Desestatização. A medida cumpriu promessa feita na posse, incluindo no rol outras estatais como Correios, Ceitec (Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada) e EBC (Empresa Brasil de Comunicação).

Apesar da iniciativa, ainda não houve apresentação do planejamento para os próximos anos da empresa pública. Uma das mais recentes atribuições da estatal foi firmada em dezembro, quando a Casa Civil definiu a empresa como detentora da gestão exclusiva da Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal (RPCAPF), ainda a ser construída pela Entidade Administradora da Frequência (EAF).

Avatar photo

Carolina Cruz

Repórter com trajetória em redações da Rede Globo e Grupo Cofina. Atualmente na cobertura dos Três Poderes, em Brasília, e da inovação, onde ela estiver.

Artigos: 924