Zero rating para serviços digitais do governo não avança, mas é desejável

Serviços digitais do governo com acesso gratuito, o zero rating, ainda não aconteceu, mas deve ser buscado, defendem secretário de Governo Digital e o presidente da Anatel

A aplicação do zero rating – ou seja, o acesso aos serviços digitais do governo sem a cobrança no pacote de dados do usuário como acontece, hoje, com as redes sociais – é uma ação bastante desejável e deveria ser enfrentada, afirmou o secretário de Governo Digital, Fernando Mitkiwicz, ao participar do 5×5 Tec Summit Governo, nesta terça-feira, 29 de novembro.

O executivo foi provocado pelo presidente da Anatel, Carlos Baigorri, também participante do evento. “Nós não conseguimos vencer o zero rating para serviços digitais, mas é desejável. Houve conversas com o Ministério das Comunicações e com a Anatel, mas não avançou. Mas acho que seria bem desejável que fosse enfrentado”, afirmou o secretário de governo digital.

O presidente da Anatel, Carlos Baigorri, observou que o cidadão que quer fazer uma reclamação do serviço na agência reguladora e usar o 0800, ele não paga a ligação. “Esse custo é pago pela Anatel”, observou. Mas se a reclamação for feita pelo aplicativo móvel, o custo do acesso será descontado do pacote de dados. “Seria muito bom se os serviços do governo pudessem ter zero rating e não ser cobrado no pacote de dados do usuário. Essa é uma negociação que precisa ser retomada”, adicionou Carlos Baigorri.

Assista ao 5×5 Tec Summit Governo na íntegra.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10686