União Europeia mira investir 160 bilhões de euros no setor tecnológico até 2027

Bloco, no entanto, solicitou financiamento adicional de 10 bilhões de euros aos países-membros para pôr em prática novo programa de tecnologias estratégicas para o continente
UE planeja investir no setor tecnológico para conquistar a soberania europeia
UE quer mais recursos para reforçar plano desenvolvido para o setor tecnológico (crédito: Freepik)

A Comissão Europeia solicitou 10 bilhões de euros (aproximadamente R$ 52,38 bilhões) adicionais aos governos dos países-membros da União Europeia (UE) para financiar um novo programa destinado a acelerar o desenvolvimento de tecnologias-chave. A expectativa é de que a iniciativa gere investimentos no valor de 160 bilhões de euros (R$ 840 bilhões) até 2027.

Em comunicado, o Poder Executivo da UE destacou que o programa tem como base projetos e normas vigentes, como a Lei de Chips. A Plataforma de Tecnologias Estratégicas para a Europa (STEP, na sigla em inglês), como a iniciativa é chamada, deve impulsionar áreas como 5G, conectividade avançada, defesa cibernética e microeletrônica.

Segundo a Comissão Europeia, o financiamento adicional se mostra necessário em função da “forte aceleração da inflação e dos juros”, condições econômicas que têm impactado o orçamento do bloco.

“O nosso orçamento é uma ferramenta política fundamental para responder aos enormes desafios que enfrentamos coletivamente. Mas as pressões estão aumentando”, justificou Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, em nota. “Hoje, propomos um aumento direcionado nos gastos da UE para fornecer apoio financeiro estável à Ucrânia, para financiar nossa ação em relação à migração e para apoiar investimentos em setores estratégicos”, complementou.

Em seu pedido, a Comissão Europeia ressaltou que a política de tecnologias estratégias visa a promover a soberania do continente europeu no que diz respeito à tecnologia digital.

Em abril, o bloco aprovou uma lei que destina 43 bilhões de euros (R$ 225 bilhões) para a instalação de fábricas de semicondutores no território europeu, numa tentativa de diminuir a dependência de cadeias externas.

Neste mês, a GlobalFoundries e STMicroelectronics anunciaram um acordo para levantar uma planta em conjunto na França. Mais recentemente, nesta semana, a Intel assinou uma carta de intenções com o governo da Alemanha para erguer uma fábrica de chips no país.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 805