TRT quer negociação entre governo de SP e LG para manter fábrica no estado

Proposta pretende debater alternativas para manter em atividade a linha de montagem de monitores e notebooks de Taubaté

O Tribunal Regional do Trabalho propôs aos trabalhadores da LG uma reunião ampliada com representantes da fabricante e do governo do estado de São Paulo. Na reunião, que ainda não tem data marcada, serão debatidas alternativas para garantir a permanência da linha de produção de monitores e notebooks em Taubaté, no interior paulista.

A LG avisou há duas semanas que vai fechar a fábrica na cidade e concentrar sua produção em Manaus (AM), onde tem direito a benefícios fiscais. Em 2020, o governador paulista, João Dória (PSDB) editou decreto que retirou parte do benefício fiscal relativo a ICMS sobre diferentes produtos feitos no estado. A linha de monitores e PCs emprega cerca de 300 pessoas.

“É um compromisso do TRT. Fazer uma reunião com todos os poderes públicos, com um diretor executivo da LG com poder de decisão, para tentar reverter a situação dos monitores e notebooks”, explica o presidente do Sindmetau, Claudio Batista.

Na sexta-feira, 16, empresa e funcionários entraram em acordo que suspendeu a greve iniciada em 12 de abril. Em assembleia hoje, os trabalhadores concordaram com o fim da greve para retomada das negociações. A nova rodada de negociações entre empresa e Sindmetau (Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região) será realizada ao longo desta semana, com previsão de ser concluída na sexta-feira, 23. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10510