TMT lideram em sustentabilidade

Companhias do setor de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações (TMT) lideram questões de sustentabilidade segundo estudo da KPMG.

XP lança fundo de ativos imobiliários globais - Crédito: Freepik

Na 12° edição do estudo “KPMG Survey of Sustainability Reporting 2022” a KPMG – empresa responsável pela pesquisa – apontou um avanço em companhias do setor de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações (TMT)  na elaboração de relatórios sobre metas de redução de carbono nos últimos anos. O salto partiu de 61% em 2017 para 81% em 2022, ocupando agora a terceira posição entre vários setores. Outro dado é a adoção de recomendações da Força-Tarefa de Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD) por empresas de TMT que saltou de 20% em 2020 para 45% em 2022, ultrapassando outros setores. 

“O estudo evidencia o progresso das empresas do setor e as principais estratégias que podem implementar na elaboração de relatórios de sustentabilidade. Entre elas, merece destaque avaliar o impacto das mudanças climáticas nas divulgações das demonstrações financeiras e alinhar o relatório de sustentabilidade e de ESG com os principais formatos de relatórios obrigatórios e facultativos. Além disso, as estratégias envolvem conhecer expectativas dos stakeholders e criar relatórios de ESG com base em avaliações de materialidade e benchmarking”, afirma Márcio Kanamaru, sócio-líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da KPMG no Brasil e na América do Sul.

O setor de TMT também lidera o ranking nos relatórios de asseguração, segundo a KPMG, progredindo nas últimas três edições do estudo com uma taxa de asseguração de 64%, estando acima da média. A asseguração externa independente de relatórios de sustentabilidade aumenta a credibilidade das informações e estimula a confiança com os stakeholders. A iniciativa, que geralmente tem início com uma asseguração limitada, após amadurecimento dos mercados e requisitos regulatórios, evolui para uma asseguração mais adequada.

“Estamos entrando em um período onde transparência e qualidade de informação sobre os aspectos ambientais, sociais e éticos dos negócios tem cada vez mais valor para todos os públicos que se relacionam com as empresas. Isso não é diferente neste setor. Os relatórios de sustentabilidade (ou de ESG), alinhados com normas internacionais, são um excelente instrumento para demonstrar este compromisso. No final, a forma de entendimento e gestão dos aspectos ESG servem para avaliar também a qualidade da liderança da empresa”, afirma Nelmara Arbex, sócia-líder de ESG Advisory da KPMG no Brasil.

A publicação também ressalta que as empresas de TMT precisam melhorar em relação à biodiversidade e outros recursos naturais. Considerando todos os setores, 40% em média da amostra total divulga informações sobre a perda de biodiversidade ou de recursos naturais como um risco ao negócio. Já as TMT somente 30% dessas empresas mencionam riscos relacionados à perda de biodiversidade, número abaixo da média.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10377