Telefônica Vivo recomprou R$ 257 milhões em ações este ano

Em março, Telefônica Vivo avisou que recompra chegará a R$ 1 bilhão, como parte da estratégia de melhorar remuneração a acionistas

(crédito: Freepik)

A Telefônica Brasil (Vivo) informou ao mercado nesta quarta-feira, 10, que recomprou R$ 257 milhões em ações próprias que circulavam no mercado financeiro brasileiro neste ano, por enquanto. A empresa pagou preço médio de R$ 45,54. A aquisição equivaleu a 0,34% do capital social da companhia.

O processo de recompra já era previsto. A expectativa é que a tele amplie a recompra nos próximos meses. Em março, o CFO da companhia, David Melcon, disse que o grupo vai dispender R$ 1 bilhão este ano para a redução do total de ações em circulação na bolsa brasileira.

O programa vai até 5 de março. As recompras são conduzidas pelas corretoras de Bradesco, BTG Pactual Corretora; Itaú; Santander; e XP Investimentos.

A todo, no primeiro semestre, a Vivo recomprou 5.643.600 de ações e cancelou 10.968.371 milhões que estavam em tesouraria desde dezembro. Com isso, passou a ter ainda 5.647.956 ações em tesouraria e 1,65 bilhão de ações totais em circulação.

“Com essa iniciativa, a Companhia reforça seu compromisso de criar valor aos acionistas, aumentando sua remuneração, ao mesmo tempo em que proporciona mais liquidez às ações”, justifica a Telefônica Vivo, no relatório de recompra de ações recém-divulgado.

A recompra complementa outra estratégia, similar, de redução do capital em circulação, com o objetivo de valorizar os papéis da companhia no mercado e melhorar a remuneração junto aos investidores. A companhia foi autorizada pela Anatel em 2023 a reduzir o capital em circulação em até R$ 5 bilhões. Até o momento, estabeleceu um programa para redução de R$ 1,5 bilhão, que está em curso e com previsão de se encerrar em 4 de março de 2025.

Nesta quarta, 10, as ações ordinária da companhia encerraram o dia valendo R$ 47,45, após alta de 1,48%.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4217