Satélite Jupiter 3, da Hughes, chega ao Cabo Canaveral para lançamento

Com capacidade de 500 Gbps, equipamento foi projetado para prover banda larga para clientes nas Américas do Norte e do Sul; artefato será lançada a bordo de um foguete Falcon Heavy
Satélite Jupiter 3, da Hughes, será lançado do Cabo Canaveral, na Flórida
Satélite Jupiter 3, da Hughes, em configuração de lançamento (crédito: Hughes/Divulgação)

A Hughes informou, nesta sexta-feira, 30, que o satélite de ultra alta densidade Jupiter 3 chegou ao Cabo Canaveral, na Flórida (Estados Unidos), onde o equipamento será preparado para lançamento. O artefato decolará a bordo de um foguete Falcon Heavy, da SpaceX. A empresa não informou a data do lançamento, mas a expectativa é de que ocorra no mês de julho.

Construído pela Maxar Technologies, em Palo Alto, na Califórnia, o Jupiter 3 foi projetado para fornecer gigabytes de conectividade a clientes nas Américas do Norte e do Sul. O equipamento será capaz de prover mais de 500 Gbps a uma velocidade de 100 Mbps. Levando em conta os satélites Jupiter 1 e 2, lançados, respectivamente, em 2012 e 2016, a frota deve ter uma capacidade total de mais de 1 Tbps.

“Dobrando a capacidade de nossa frota de satélites com 500 Gbps adicionais, o Jupiter 3 nos permitirá atender a mais clientes, especialmente onde o cabo e a fibra não podem, para que eles possam fazer tudo o que quiserem, incluindo trabalhar em casa, estudar e jogar online, envolver-se em suas comunidades e manter contato com familiares e amigos”, afirmou, em nota, Hamid Akhavan, CEO da EchoStar, controladora da Hughes.

Quando chegar ao destino na órbita geoestacionária da Terra, a 95º de longitude oeste, o Jupiter 3, em posição operacional, deve ter aproximadamente a envergadura de um avião comercial.

Com o novo equipamento no espaço, a empresa espera aprimorar a sua oferta de banda larga para clientes nos Estados Unidos e na América Latina, oferecendo mais capacidade e maior velocidade. A companhia também oferecerá um plano de internet doméstica de baixa latência, combinando as tecnologias sem fio e via satélite em um serviço mais rápido e responsivo do que a internet via satélite tradicional.

Também conhecido como EchoStar XXIV, o Jupiter 3 também oferecerá suporte a aplicações como WiFi a bordo, rede corporativa e backhaul de celular para operadoras de rede móvel.

A Hughes também informou que, antes de o artefato entrar em serviço, planeja fazer diversos testes de funcionamento. “Serão necessárias várias semanas para colocar o satélite na órbita correta”, disse a empresa, em nota.

Vale lembrar que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou a frota Jupiter a explorar o território brasileiro ainda em 2020.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10373