Com foco nas Américas, satélite Jupiter 3, da Hughes, é lançado ao espaço pela SpaceX

Artefato deve aumentar a capacidade da frota, que conta com outros dois equipamentos, em mais de 500 Gbps; abertos, painéis solares se estendem pelo equivalente a dez andares
Satélite Jupiter 3, da Hughes, foi lançado com sucesso pela SpaceX
Lançamento do satélite Jupiter 3 ocorreu no Cabo Canaveral, na Flórida (EUA) (crédito: Hughes)

O satélite Jupiter 3, da Hughes, foi lançado com sucesso na noite da última sexta-feira, 28, informou a operadora. Projetado para fornecer gigabytes de conectividade a clientes na América do Norte e do Sul, o artefato de ultra alta densidade subiu ao espaço a bordo de um foguete Falcon Heavy, da SpaceX. O lançamento ocorreu na plataforma 39A, do Centro Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, na Flórida (EUA).

A Hughes também informou que o satélite, também chamado de EchoStar XXIV, desacoplou com sucesso do veículo de lançamento na madrugada do dia 29 de julho – confira no vídeo compartilhada pela SpaceX no Twitter.

Ao transmitir e receber os primeiros sinais, os engenheiros implantaram os painéis solares do Jupiter 3, que foram abertos no espaço com seus dez andares de extensão. Nas próximas semanas, o satélite deve completar a viagem para a órbita geossíncrona a 35,7 mil quilômetros da Terra, a um destino a 95 graus oeste da trajetória orbital.

O equipamento ainda passará então por um extensivo teste de barramento e carga útil antes de começar a operar. Segundo a Hughes, o artefato deve ser capaz de prover mais de 500 Gbps de capacidade. Com isso, a frota Jupiter, composta por outros dois satélites, deve entregar mais de 1 Tbps.

“O Jupiter 3 é o satélite de maior capacidade e desempenho que já lançamos”, diz Hamid Akhavan, CEO da EchoStar. “Esse satélite foi construído e projetado exclusivamente para atender às necessidades de nossos clientes e suprir a capacidade onde é mais necessário, tal como as regiões rurais das Américas, de forma que eles possam estar conectados aos aplicativos e serviços dos quais dependem diariamente”, complementa.

Construído pela Maxar Technologies em Palo Alto, na Califórnia, o equipamento chegou ao Cabo Canaveral para lançamento no fim de junho. Apesar de alguns adiamentos, o satélite foi lançado dentro do período previsto, que era o mês de julho.

Em comunicado, a Hughes destaca que aumentará a oferta de conectividade para os clientes nos Estados Unidos e na América Latina, incluindo o Brasil, com planos de banda larga de maior velocidade, chegando a até 100 Mbps em alguns mercados. O satélite também oferecerá suporte a aplicações como WiFi a bordo, rede corporativa e backhaul de celular para operadoras de redes móveis (MNOs).

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 886