Regulador rejeita proposta da Telecom Italia de abertura de rede

A Agcom não aceitou a separação da rede fixa sob o manto do mesmo controlador
shutterstock/Marynchenko Oleksandr

A agência reguladora de comunicações da Itália informou nesse final de semana que havia rejeitado a oferta de separação de rede fixa formulada pela Telecom Italia no ano passado, ainda na gestão de Amos Genish. Conforme a Agcom, a oferta formulada pela operadora “não aumentaria a concorrência”.

O ex-CEO da Telecom Italia formulou a proposta de separar a rede fixa com a manutenção do controle acionário para a operadora, a exemplo do que ocorreu com a British Telecom no Reino Unido. Para o regulador italiano, essa proposta, no entanto, “manteria uma vantagem competitiva significativa” para a empresa em quase todo o país, à exceção da cidade de Milão, onde é sua sede.

O fundo Elliott Management, que atualmente controla a empresa e indicou o novo CEO,  Luigi Gubitosi, em novembro, defende a separação estrutural da rede fixa da empresa, com a venda de seu controle majoritário. Com a recusa da oferta da empresa pela agência reguladora, a proposta do fundo poderá prevalecer sobre a do sócio Vivendi. Na reunião do dia 21 de fevereiro, é possível que um novo plano seja apresentado.

A agência pretende lançar a uma consulta pública com as regras que quer implementar. A decisão do regulador fez as ações da Telecom Italia cair hoje, 21.

(com agências de notícias). 

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10597