Procura por crédito tem a maior retração do ano, diz Serasa Experian

Procura pelo recurso financeiro teve a maior retração do ano, de 14,8%, feita a comparação com o mesmo período de 2021
Procura por crédito tem a maior retração do ano, diz Serasa Experian
Crédito: Freepik

O Indicador de Demanda por Crédito da Serasa Experian revelou que, em outubro, a procura pelo recurso financeiro teve a maior retração do ano, de 14,8%, feita a comparação com o mesmo período de 2021. Desde junho, essa foi a quinta queda consecutiva, reforçada por todas as regiões do país. Em destaque, o Centro-Oeste (-20,2%), seguido pelo Nordeste (-16,0%), Sudeste (15,2%), Norte (14,3%) e Sul (9,2%).

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, mesmo com a retomada econômica que vem acontecendo gradualmente no país, alguns indicadores estão deixando os consumidores mais cautelosos na hora de contrair novas linhas de crédito. “Desde que a taxa Selic passou de 12,75% para 13,25%, de maio para junho deste ano, a busca pelo recurso financeiro começou a cair. Depois disso, a taxa aumentou mais uma vez em outubro, alcançando 13,75%. Dessa forma, ainda que exista a recuperação do poder de compra, o encarecimento dos juros desencoraja a população ao consumo”.

A análise por faixa de renda mensal mostrou que consumidores de todas as classes sociais têm evitado adquirir novas linhas de crédito. A maior queda, de 16,0%, ficou para aqueles que recebem entre R$ 500 e R$ 1.000.

Metodologia

Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CPFs, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CPFs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica e por classe de rendimento mensal.

Banco Central 

A taxa média dos juros de crédito livre e o spread bancário voltaram a subir em outubro deste ano, conforme relatório do BC – Banco Central – divulgado hoje, 28. Os juros de crédito passaram para 42,4% ao ano, contra 40,7% ao ano de setembro. Os juros para aquisição de veículos subiram de 27,1% ao ano em setembro, para 27,2% em outubro. E o spread em operações de crédito passou de 28,6% em setembro para 30,3% no mês passado.

(assessoria de imprensa)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1783