Plano de demissão afeta lucros e Ebitda da Telefónica

A empresa fez um provisionamento de mais de 3 bilhões de euros no último trimestre do ano passado para o pagamento aos empregados a serem demitidos.

A Telefónica fechou 2015 com lucros de  € 2,745 bilhões, 8,5% menores do que 2014 devido ao impacto do provisionamento feito no último trimestre do ano para o seu pacote de demissões para o qual destinou € 3,122 bilhões  para todas as empresas do grupo (sendo a maior parte na Espanha, € 2,896 bilhões).

Sem esses gastos extraordinários, informa a empresa, os lucros somariam € 5,787 bilhões, aumento de 29,7% em relação a 2014. O Ebitda também teve forte queda, provocada por essa despesa extraordinária, com queda de 17,4%, para € 11,414 bilhões.

As receitas cresceram 8,7%,para € 47,21 bilhões. Para este ano, a companhia espera crescimento de 4%. O presidente da Telefónica, César Alierta, classificou 2015 como um ano muito positivo, e espera estabilizar as margens em 2016, mantendo os fortes níveis de investimentos e recuperar o pagamento dos dividendos em dinheiros para 0,75 centavos por ação.

Último trimestre

No último trimestre o grupo sofreu perdas de €1,832 bilhão, devido as provisões extraordinárias. As receitas somaram €11,88 bilhões, crescimento, em termos orgânicos de 3,3% e o Ebitda também cresceu 3,8% em termos orgânicos, “impulsionado por Telefónica Deutschland e Telefónica Brasil”, diz o comunicado.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10568