Oyama: Por que as métricas de AI TOPs e NPU serão essenciais para medir o desempenho de IA?

Com a evolução da Inteligência Artificial (IA), entender sobre as métricas de desempenho de IA se torna cada vez mais fundamental.
Por que as métricas de AI TOPs e NPU serão essenciais para medir o desempenho de IA?
Helio Oyama explica o porquê as métricas de AI TOPs e NPU passarão a ser necessários para medir o desempenho de IA | Foto: Divulgação

Por Helio Oyama

No cenário tecnológico em rápida evolução de hoje, onde a inteligência artificial (IA) está remodelando as indústrias e impulsionando a inovação, entender os meandros das métricas de desempenho de IA é fundamental. Anteriormente, muitos dos modelos de IA eram obrigados a ser executados na nuvem e, à medida que avançamos em direção a um futuro definido pelo processamento de IA generativa no dispositivo, devemos ser capazes de avaliar o desempenho, a precisão e a eficiência com que as plataformas de computação podem executar modelos de IA. Hoje, uma das principais maneiras de medir o desempenho de IA de um processador são Trilhões de Operações Por Segundo (Trillions of Operations Per Second -TOPS). O TOPS é uma medida do potencial pico de desempenho de inferência de IA com base na arquitetura e frequência exigidas do processador, como a Unidade de Processamento Neural (NPU).

O que é a NPU?

Antes de mergulhar nas especificidades do TOPS, vamos examinar a importância do NPU. Para o processamento de IA no dispositivo, a NPU desempenha um papel fundamental na condução da eficiência e na habilitação de experiências inovadoras nos aplicativos.

A evolução da NPU transformou a forma como abordamos a computação. Tradicionalmente, a CPU era responsável por executar algoritmos de IA. À medida que as demandas por desempenho de processamento dispararam, as NPUs dedicadas surgiram como uma solução especializada para lidar com software e aplicativos que aproveitam a IA. Esses processadores são projetados para lidar com eficiência com os cálculos matemáticos complexos necessários para tarefas de IA oferecendo eficiência, desempenho e economia de energia incomparáveis.

O que significa AI TOPS?

No centro da medição de desempenho da NPU está o TOPS, uma métrica que ilustra o poder computacional dessas unidades.

O TOPS quantifica as capacidades de processamento de uma NPU medindo o número de operações (adições, multiplicações, etc.) em trilhões executados em um segundo.

Essa medição padronizada indica fortemente o desempenho de uma NPU, servindo como um parâmetro crucial para comparar o desempenho da IA em diferentes processadores e arquiteturas.

TOPS e desempenho no mundo real

Embora o TOPS forneça insights valiosos sobre os recursos da NPU, ainda precisamos preencher a lacuna entre as métricas teóricas e as aplicações do mundo real. Um alto número de TOPS por si só não garante o desempenho ideal da IA; é o culminar de vários fatores trabalhando em conjunto que definem genuinamente as proezas de uma NPU.
Isso significa considerar aspectos como largura de banda de memória, otimização de software e integração de sistemas ao avaliar o desempenho da NPU. Os benchmarks podem nos ajudar a olhar além dos números e entender como as NPUs se comportam em cenários do mundo real, onde a latência, a taxa de transferência e a eficiência energética são mais importantes do que nunca.

O benchmark Procyon AI, por exemplo, usa cargas de trabalho reais para ajudar a traduzir a medição teórica do TOPS para a capacidade de resposta e os recursos de processamento que um usuário pode esperar em aplicativos reais que usam inferência de IA.

A análise do desempenho no mundo real fornece insights valiosos sobre os recursos e limitações de uma NPU. As métricas de desempenho devem ser vistas pelas lentes da praticidade e do pragmatismo.

O futuro das métricas de desempenho da NPU

À medida que várias novas tecnologias de IA ganham força nos próximos anos e redefinem inúmeros setores, a necessidade de métricas de desempenho robustas que capturem suas características únicas se tornará cada vez mais importante. Adaptabilidade, escalabilidade e relevância para aplicativos do mundo real definirão o futuro das métricas de desempenho da NPU.

Avaliando o desempenho da NPU de acordo com suas necessidades

Navegar no mundo em rápida mudança das medições de desempenho da NPU pode parecer assustador no início, mas entender as complexidades do TOPS é vital para indústrias e indivíduos, já que a transformação digital – especialmente no espaço de IA – continua nesse ritmo.

Quer você priorize o poder computacional bruto, a eficiência energética ou a precisão do modelo, as plataformas Snapdragon X Series estão equipadas com a NPU mais rápida do mundo para notebooks com até 45 TOPS para turbinar seu PC e fornecer experiências de IA do mundo real em seu trabalho.

*Helio Oyama, director, business development na Qualcomm

Avatar photo

Colaborador

Artigos: 331