Nokia reduz projeção de receita para 2023 com demanda mais fraca no segundo semestre

Companhia finlandesa também apertou a margem operacional esperada para este ano; revisões se devem, principalmente, ao desempenho das divisões de Infraestrutura de Redes e Redes Móveis
Nokia revisa para baixa projeção de receita em 2023
Sede da Nokia em Espoo, Finlândia; projeção de receita para 2023 foi revisada para baixo (crédito: Divulgação/Nokia)

A Nokia apresentou, nesta sexta-feira, 14, uma atualização de suas projeções para os negócios em 2023. Em linhas gerais, a companhia finlandesa reduziu as estimativas de receita líquida e apertou a margem operacional prevista para este ano.

A fabricante de equipamentos de telecomunicações apontou que o faturamento projetado para 2023 deve ficar entre 23,2 bilhões de euros (aproximadamente R$ 125,36 bilhões) e 24,6 bilhões de euros (R$ 133 bilhões).

Anteriormente, a empresa projetava que a receita líquida somaria, ao término deste ano, de 24,6 bilhões de euros (R$ 133 bilhões) a 26,2 bilhões de euros (R$ 141,57 bilhões).

A banda prevista da margem operacional também foi revisada para baixo. A projeção inicial apontava margem de 11,5% a 14%. Agora, a Nokia estima que, no máximo, atinja 13%.

Segundo a companhia, as projeções mais modestas se devem ao desempenho dos negócios de Infraestrutura de Redes e de Redes Móveis. “A perspectiva de demanda mais fraca no segundo semestre se deve tanto ao ambiente macroeconômico quanto à digestão dos estoques dos clientes”, diz a fabricante, em nota.

Vale lembrar que, quando da divulgação dos resultados financeiros do primeiro trimestre – período em que o lucro cresceu 32% e a receita, 9%, na comparação anual –, a Nokia sinalizou que era questão de tempo para o ambiente econômico comprimir os gastos dos clientes. No entanto, mostrava-se otimista com uma possível melhora da lucratividade na segunda metade de 2023.

“Os planos de gastos dos clientes são cada vez mais afetados pela inflação alta e pelo aumento das taxas de juros, juntamente com alguns projetos agora adiados para 2024 – principalmente na América do Norte”, afirma a companhia finlandesa, no comunicado divulgado nesta sexta-feira.

2º trimestre

Com base em dados preliminares, a companhia indicou que deve reportar receita líquida de aproximadamente 5,7 bilhões de euros (R$ 30,80 bilhões) no segundo trimestre, o que indica estabilidade na comparação anual. A margem operacional estimada é de 11%. Além disso, a Nokia sinalizou que o lucro operacional deve ser beneficiado em cerca de 80 milhões de euros (R$ 432,27 milhões) relacionados à receita líquida da divisão Nokia Technologies.

No comunicado, a empresa finlandesa ressaltou que tem gerenciado os custos para proteger a lucratividade.

“À medida que se avança nesse período de incerteza, a Nokia continuará a tomar medidas para garantir que permaneça no caminho de suas metas de longo prazo de crescer mais rápido do que o mercado e oferecer uma margem operacional comparável de pelo menos 14%”, destaca.

A Nokia planeja divulgar os resultados financeiros do segundo trimestre na próxima quinta-feira, 20.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 802