Microsoft cresce em nuvem e aposta fichas em inteligência artificial

CEO da empresa, Satya Nadella, disse que inteligência artificial aliada à nuvem é o futuro da computação
As vendas da nuvem da Microsoft garantiram os melhores resultados. Crédito: Freepik

A Microsoft divulgou nesta terça-feira, 24, os resultados da empresa no segundo trimestre do ano fiscal de 2023 e apontou que a nuvem, aliada à inteligência artificial, é cada vez mais importante para seu futuro.

No trimestre, encerrado em dezembro, a empresa teve receita total de US$ 52,7 bilhões, alta de 2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro operacional foi de US$ 20,4 bilhões, queda de 8%. E o lucro líquido foi de US$ 16,4 bilhões, retração de 12% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

O segmento de nuvem da empresa foi destaque, com receita de US$ 27,1 bilhões, aumentando 22% em relação ao ano anterior. A receita de Produtividade e Processos de Negócios também aumentou 7% e a receita de Inteligência na Nuvem aumentou 18%.

De acordo com o CEO da companhia, Satya Nadella, a “próxima grande onda de computação” está sendo criada com o Microsoft Cloud, que está transformando os modelos de inteligência artificial mais avançados em uma nova plataforma de computação. A fala do executivo aponta para a importância da nuvem e da inteligência artificial para o futuro da empresa e como a Microsoft está posicionada para aproveitar essas tendências.

A empresa anunciou recentemente investimento bilionário da plataforma OpenAI, desenvolvedora por trás da inteligência artificial ChatGPT e Dall E2, a primeira capaz de produzir textos e responder a demandas dos usuários com linguagem natural, e a segunda, de produzir imagens e ilustrações.

A expectativa da Microsoft de expansão com nuvem e inteligência artificial também pode ser vista sob a ótica da retração das receitas nos outros segmentos em que a big tech atua. As receitas com a comercialização do sistema operacional Windows, por exemplo, caiu 39% ano a ano. A venda de serviços Windows, mesmo em nuvem, caiu 3%. As vendas de Xbox, jogos e serviços de entretenimento ligado à plataforma de games caiu 12%. E a venda de dispositivos caiu 39%.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4217