Metaverso e realidade aumentada darão retorno para os investimentos 5G, prevê Claro

Para Márcio Carvalho, o 5G standalone será uma habilitador da transformação que se espera no mundo dos games, não dependendo mais do console ou da plataforma
Metaverso dará retorno para o 5G, diz Claro
Tudo que faça uso das possibilidades que a rede traz, está no radar, diz Carvalho

As novas tecnologias digitais, como o Metaverso e outras experiências de realidade virtual e realidade aumentada, ajudarão a trazer o retorno pelo investimento na rede 5G standalone da Claro. Além disso, a rede atua de forma complementar à rede de fibra óptica. “O 5G é mais um layer de conectividade para garantir que o conteúdo chegue em todos os lugares e em todas as telas”, disse o Chief Marketing Officer da Claro, Márcio Carvalho, nesta quinta, 8, na vertical de entretenimento do evento 5×5 TEC Summit, realizado em parceria entre  Convergência Digital, Mobiletime, Teletime, Tele.síntese e TI Inside.

“Conectividade é somar fibra com 5G+. São duas plataformas que se compõem e se sobrepõem em alguns momentos, uma focada em mobilidade e outra em domicílios e empresas. Onde não há disponibilidade de fibra, o 5G pode se tornar uma alternativa de acesso e conectividade de excelente qualidade”, completa.

O executivo apresentou no evento algumas das experiências que a Claro vem desenvolvendo e apostas para o futuro da operação. Entre os destaques, mencionou as demonstrações do 5G no streaming do Claro Box. Para o público dos games, o 5G terá um papel central. “O 5g standalone será uma habilitador da transformação que se espera no mundo dos games, não dependendo mais do console ou da plataforma, tendo tudo rodando na nuvem com baixa latência. É uma evolução que precisa seguir acontecendo.”, disse Carvalho. “Cloud games, para nós, é uma das apostas, mas não só games. Tudo que faça uso das possibilidades que a rede traz está no radar. Tratar aplicações diferentes em momentos de operação crítica será oportunidade para monetizar a rede e a infraestrutura de última geração que está sendo criada”, afirma o CMO da Claro.

Metaverso

Segundo Márcio Carvalho, da Claro, a complexidade do Metaverso está no desconhecimento. “À medida em que vão popularizando os kits de desenvolvimento, tem bastante gente qualificada que sabe desenvolver conteúdo em diversas plataformas e o Metaverso será mais uma”, diz.

No entanto, ele concorda que há uma evolução necessária na parte dos dispositivos, não só em preço e disponibilidade, mas também em tamanho e no conforto da experiência. “Gradativamente vamos melhorando a experiência e agregando uma plataforma que permite uma interação mais forte e imersiva do nas telas de smartphone e computador. Tudo isso traz um potencial de muita transformação para educação, acesso a conteúdos de toda a sorte para entretenimento e acho que vai acontecer gradativamente”, diz.

Para desenvolver novos produtos e serviços, a Claro conta com uma área de fomento e inovação. “São pessoas focadas em estudar novas ações e desenvolver novos parceiros. Também parceiros tradicionais trazem no conceito de seus projetos ações inovadoras”.

A operadora já tem alguns produtos de interatividade, como o Fórmula1 TV Pro. O aplicativo, além de fazer a transmissão da corrida pela Band, permite uma personalização de câmeras. É possível assistir a corrida a partir do cockpit de determinado piloto, ou ainda acompanhar a ação dele. “É um formato mais interativo e personalizável para o fã do automobilismo ter experiência diferenciada. Isso pode evoluir para outras formas que permitem monetização”, aposta o CMO.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10686