IPCA-15 sobe 0,69% em junho, diz IBGE

Reajustes nos planos de saúde puxaram indicador no mês, assim como a tarifa do ônibus urbano, o lanche fora de casa e os produtos farmacêuticos
IPCA-15 sobe 0,69% em junho, diz IBGE. Crédito: Freepick
Crédito: Freepik

O IPCA-15, considerado a prévia da inflação, apresentou uma alta de 0,69% em junho, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE) nesta sexta-feira, 24. O resultado veio acima das expectativas do mercado, que previam uma alta de 0,62%, e do resultado prévio de 0,59%. O reajuste no plano de saúde foi o principal responsável pela avanço no período.

Em 12 meses, o indicador sofreu desaceleração de 12,2%, para 12,0,4% no período, também acima dos 11,98% esperados, mas abaixo dos 12,20% previstos.

No último dia 06, o Banco Central divulgou resultados prévios sobre a previsão da inflação no país. De acordo com o números apresentados, a expectativa do mercado é que o IPCA fique em 8,89% em 2022.

O grupo de Saúde e cuidados pessoais também foi destaque na divulgação, com alta de 1,27%, contribuiu com 0,16 pontos no índice de junho. A alta do setor foi puxada pelo reajuste dos planos de saúde de a’te 15,50%, autorizados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em 26 de maio, com vigência a partir de maio deste ano e encerramento em abril de 2023. A alta de 1,38% nos produtos farmacêuticos contribuíram com 0,05 pontos no índice do mês.

Impacto do grupo Transportes

Todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram alta em junho. O maior impacto nesta comparação veio do grupo Transportes, que subiu 0,84% e respondeu por 0,19 ponto no índice geral.

O preço das passagens aéreas subiu 11,36% em junho, seguido do seguro voluntário de veículo (4,20%) e o emplacamento e licença (1,71%). Também subiram de preço as motocicletas (1,66%), os automóveis novos (1,46%) e os automóveis usados (0,12%).

O ônibus urbano subiu 0,32% por conta do reajuste de 11,36% nas tarifas em Salvador, em vigor desde o dia primeiro de abril, mas que só foi repassado a partir de 4 de junho. Dentro da categoria de ônibus urbano, o ônibus intermunicipal subiu 1,34% e também pressionou o indicador, já que houve reajuste na casa dos dois dígitos em Belo Horizonte e Salvador.

Já quando de trata dos combustíveis, embora tenha sido registrado aumento em óleo diesel (2,83%), o etanol e a gasolina caíram 4,41% e 0,27%, respectivamente, o que contribuiu para uma desaceleração do grupo Transportes em relação ao mês de maio, quando subiu 2,05%.

O grupo de Saúde e cuidados pessoais também foi destaque na divulgação, com alta de 1,27%, contribuiu com 0,16 pontos no índice de junho. A alta do setor foi puxada pelo reajuste dos planos de saúde de a’te 15,50%, autorizados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em 26 de maio, com vigência a partir de maio deste ano e encerramento em abril de 2023. A alta de 1,38% nos produtos farmacêuticos contribuíram com 0,05 pontos no índice do mês.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1785