Falha em cabo submarino afeta provedores de internet na Bahia

Cabo da Telxius apresentou falha, o que levou empresa a reduzir a capacidade de tráfego reservada a provedores regionais. Grandes operadoras foram afetadas e acionaram rotas alternativas

Mapa interativo Telxius SAM-1

Uma falha derrubou a conectividade de um cabo submarino que chega à Bahia e é utilizado por provedores regionais de banda larga para troca de tráfego de internet. O problema vem afetando a estabilidade dos acessos no estado deste a noite de sábado, 4.

O problema se deu em cabo da Telxius, que trabalha para solucionar a falha. A empresa informou a provedores que o retorno à normalidade se dará em 30 dias. Neste momento, a rede opera através de redundância, e os provedores que conseguiram contrataram links emergenciais para reforçar a rede.

Segundo Basílio Perez, diretor da Abrint, associação que representa provedores de internet, “dezenas” de ISPs foram atingidos pela falha, quase todos da Bahia. Dados da Anatel indicam que há 2.476 PPPs licenciados no estado. Não se sabe o número exato de impactados.

Ele afirma que houve redução de 2 Tbps da capacidade total dedicada aos provedores de pequeno porte, por isso muitos recorreram à contratação de redundância.

Procurada, a Anatel informa que foi avisada da falha, e que o sinal de grandes operadoras foi afetado, mas rapidamente normalizado após o tráfego ser reorientado para rotas alternativas.

Os cabos da Telxius são estruturas críticas, e a empresa voluntariamente participa do grupo de trabalho de gestão de riscos em infraestrutura da agência. Mas não é, ao menos por enquanto, regulada. Uma proposta de regulação de detentores de infraestrutura crítica aguarda votação no Conselho Diretor da Anatel.

“Estamos apurando ainda a extensão da falha, que afetou mais os PPPs e o mercado corporativo, sobre os quais temos menos visibilidade”, explica Gustavo Borges, superintendente de controle de obrigações da Anatel.

O Tele.Síntese tentou contato com a Telxius, sem sucesso. Caso a empresa se pronuncie, este texto será atualizado. Em seu site, a empresa aponta em mapa interativo (reprodução acima) que o ramal do cabo SAM-1 que chega a Salvador, capital baiana está operando sem falhas. Nenhum outro cabo submarino da empresa aparece com ramal para a Bahia no mapa, nem com falha.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4086