Datora quer ocupar espaços deixados pelo fim da concessão de telefonia fixa

A operadora de atacado Datora está fazendo pontos de presença de telefonia fixa no Norte, Nordeste e Centro-Oeste de olho na demanda deixada desatendida com o encolhimento da Oi

Tomas Fuchs, CEO da Datora

As concessionárias de telefonia fixa reclamando do crescente desinteresses pelo produto por parte do consumidor, mas há empresas que estão crescendo explorando o segmento. É o caso da Datora. A operadora adotou como estratégia atender  áreas nas quais a Oi vem recuando, ganhando assim clientes que buscam contratar recursos de numeração ou mesmo órgãos públicos, como polícias, bombeiros e SAMU.

“Estamos expandindo PoPs para numeração telefônica. Com a diminuição da Oi, muitos clientes locais estão ficando desatendidos, principalmente no Norte e no Nordeste. Então estamos crescendo. Somos um dos poucos que cresce em telefonia fixa”, explica Tomas Fuchs, CEO da Datora.

E a tendência, afirma, é de que este braço do negócio cresça mais nos próximos anos. “Já estamos nos movimentando para o momento que a Oi vai sair da concessão, mas não vamos para qualquer área, vamos para onde tem cliente falando [no telefone fixo] e precisa continuar falando”, disse ao TS.

O modelo da empresa é B2B. A operadora monta o PoP e fornece numeração a ser utilizada por um provedor de internet regional. “Em cada região é preciso existir 190, 193, tem Caixa Econômica, tem Correios, uma série de empresas públicas que eram atendidas pelas concessionárias. Aí o provedor regional vai ter a oportunidade de assumir isso, e a gente oferece a rede de voz. É um mercado interessante para o provedor regional diversificar receitas”, acrescenta.

Além da numeração, a Datora faz a interconexão e o entroncamento, permitindo que as chamadas aconteçam de ponta a ponta. A rede da empresa é digital, e tudo é feito via voz sobre IP. “E isso não sobrecarrega nenhuma rede óptica, o consumo de dados pela voz neste modelo é baixo”, comenta o executivo.

Atualmente, todos os PoPs que estão sendo feitos no Norte, Nordeste e Centro-Oeste são pensados já neste refluxo do fim das concessões. A iniciativa começou a cerca de um ano. A meta da empresa é terminar o ano com PoPs para atender esse negócio em cidades que representem todos os Códigos Nacionais (CN). Atualmente, conta, a Datora está presente com infraestrutura para entregar o serviço a provedores em 53 CNs. Faltam, 14.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4234