Consumidor tem nova chance de negociar dívidas

Campanha promovida pela Febraban permite que consumidor negocie suas dívidas no período de 7 a 31 de março.
Santander lança linha de crédito com 180 dias de carência - Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Consumidor que tem dívidas em atraso com instituições financeiras poderão se beneficiar do Mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Orientação Financeira, que está sendo promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), no período de 7 e 31 de março.

A iniciativa, que conta com a parceria do Banco Central, Secretária Nacional do Consumidor (Senacon) e Procons de todo o país, permitirá que o consumidor tenha a oportunidade de conhecer e quitar seus débitos em atraso, além de conteúdo exclusivo sobre educação financeira.

“Durante a pandemia, os bancos foram proativos e renegociaram voluntariamente mais de R$ 19 milhões de contratos de empréstimos bancários, repactuando R$ 1,1 trilhão de saldos devedores e suspendendo R$ 150 bilhões em prestações, o que trouxe alívio financeiro imediato para milhares de clientes”, disse Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Maurício Moura, diretor de relacionamento, cidadania e supervisão de conduta do Banco Central, acha fundamental o consumidor conhecer suas dívidas, avaliar se sua participação no mutirão é apropriada e, também, identificar qual o valor mensal máximo que pode pagar no acordo. “Nossa expectativa é que o mutirão gere acordos efetivos para o cidadão, reduzindo o risco de reincidência do problema”, afirmou.

Uma página específica do Mutirão foi desenvolvida para orientar o consumidor desde educação financeira até o envio de propostas de negociação na plataforma de mediação de conflitos ConsumidorGovBr, sistema criado pela Senacon que conta com a adesão de mais de 160 instituições financeiras.

Na página do Mutirão, entre outras ferramentas, o  interessado encontrará também na página do mutirão um link para o Registrato, sistema do BC que permite o acesso ao Relatório de Empréstimos e Financiamentos (SCR), que contém a lista de dívidas em seu nome junto às instituições financeiras.

A campanha tem como alvo pessoas físicas com dívidas que não possuem bens dados em garantia, além de dívidas que estejam em atraso e em nome de uma pessoa natural e tenham sido contraídas de bancos ou financeiras.

Como aderir

A adesão ao mutirão é simples. Basta o consumidor optar por negociar com a instituição credora dentro da plataforma ConsumidorGovBrou diretamente com os canais digitais de negociação dos bancos. A instituição financeira tem o prazo de 10 dias para analisar o pedido e apresentar uma proposta.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1782